A revista colombiana Semana divulgou em sua edição desta segunda-feira novas gravações ilegais feitas por advogados e congressistas, entre outras personalidades, supostamente funcionários do serviço de inteligência estatal (DAS), ligados à Presidência da República.

"Alguns dos integrantes da Suprema Corte continuam ocupando boa parte do tempo do organismo de segurança. A Semana obteve dezenas de gravações recentes que provam isto", destacou a publicação.

As escutas ilegais também incluem pré-candidatos à presidência e, inclusive, em uma delas aparece James Faulkner, funcionário do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, com sede na embaixada americana em Bogotá.

Segundo a revista, as escutas telefônicas foram feitas por equipes de escutas que não estão nos inventários oficiais, para confrontar com uma investigação realizada pela Procuradoria desde fevereiro passado, por denúncias similares.

Segundo a Semana, uma das fontes da informação disse que, há duas semanas, algumas destas equipes chegaram a Bogotá para controlar congressistas na votação doreferendo".

A revelação coincide com um projeto de lei que está sendo votado pela Câmara dos Representantes, para aprovar um referendo que reforma a Constituição, para que o presidente Alvaro Uribe possa se apresentar para uma segunda reeleição consecutiva.

As denúncias sobre interceptações ilegais por parte do DAS, que surgiram ano passado, levaram a Procuradoria (Ministério Público) a abrir investigações contra quatro assessores de Uribe e dos ex-diretores do DAS.

cop/lm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.