Colômbia: filhos de Uribe são suspeitos em caso de lavagem de dinheiro

O dono de uma grande companhia sob suspeita de lavagem de dinheiro mencionou nesta sexta-feira funcionários do governo de Alvaro Uribe, além dos filhos do presidente e policiais, como envolvidos no caso, em entrevista a uma rádio local.

AFP |

"Não sei como é a relação do presidente com seus filhos, mas definitivamente ele não sabe o que estão fazendo", afirmou David Murcia, dono da empresa DMG, depois que Uribe negou na rádio La W que seus filhos, Tomás e Jerónimo, tivessem qualquer relação com a firma.

A DMG se apresenta como uma loja na qual os clientes adquirem um cartão com valor equivalente ao investido, com o qual podem comprar bens e serviços de um amplo catálogo, conseguindo em poucos meses o reembolso parcial ou integral dos gastos.

Segundo seu proprietário, a DMG não é uma empresa de captação ilícita de dinheiro e não está envolvida com lavagem de dinheiro do narcotráfico ou de grupos ilegais, como suspeitam os serviços de segurança.

Murcia, que falou por telefone à La W, disse que dois filhos do presidente fizeram uma proposta a um canal de televisão de sua propriedade.

"Senhor presidente, para que fique sabendo, seus filhos estão fazendo um programa muito bom. O que nós estamos fazendo é apoiá-los com toda a equipe de produção, com as câmeras, levando adiante este projeto para que comece a faturar depois com as marcas que queiram patrociná-lo", afirmou.

Mas Jerónimo Uribe negou qualquer relação comercial com a empresa. "Não faturei um peso sequer neste documentário, que foi uma idéia cem por cento minha", afirmou.

sab/ap/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG