Uma coleção de fotos que revelam o dano ambiental causado pela produção de cocaína na Colômbia está exposta desde esta quarta-feira, na Trafalgar Square, no coração de Londres, para conscientizar os britânicos sobre o impacto do cultivo da droga nesse país.

"A destruição ambiental causada pela cocaína equivale a um verdadeiro genocídio ecológico", disse à AFP o vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, na apresentação à imprensa desse "fotomuseu".

As 42 imagens de fauna, flora, bosques virgens e fontes de água pura ameaçados pelos cultivos de coca querem "deixar claro esse imenso dano ambiental causado pela coca", acrescentou Santos, que estava acompanhado do ministro britânico encarregado do tema das drogas, Vernon Coaker.

Santos explicou que a mostra se destina, principalmente, aos jovens - "muito sensíveis aos assuntos do meio ambiente" - e "aos consumidores casuais, que andam de carro híbrido, ou reciclam, mas que, à noite, usam dois gramas de cocaína".

O "fotomuseu" faz parte da iniciativa de "Responsabilidade Compartilhada" lançada pela Colômbia para conscientizar os países consumidores sobre os devastadores efeitos humanitários, sociais e ambientais da produção de cocaína. O objetivo é que as nações que a consomem se unam aos países fornecedores para lutar juntos contra esse problema mundial, completou o vice-presidente.

O músico Alex James, ex-baixista do grupo Blur, que foi à Colômbia em outubro passado e, desde então, envolveu-se bastante na campanha, lembrou que as imagens buscam "tirar o glamour da cocaína".

A mostra, que depois segue para a Itália, faz parte da Semana contra a Droga, organizada pelo Ministério britânico do Interior, de 19 a 23 de maio.

Alguns números resumem esse dano: nos últimos 20 anos, 2,2 milhões de hectares de bosque tropical foram cortados para plantar coca na Colômbia, uma área que equivale ao território da Eslovênia.

Um relatório da Unidade Independente de Monitoramento de Drogas (IDMU, sigla em inglês) revelou que quase 12% da população de 15 a 34 anos na Grã-Bretanha já consumiu cocaína, o que representa o percentual mais alto da Europa.

De acordo com um informe do Departamento de Estado americano, a Colômbia, 1º cultivador mundial de coca, é a fonte de cerca de 90% dessa droga destinada aos mercados mundiais.

ame/tt/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.