Colômbia: esperança de sobrevivência de líderes das Farc é menor

BOGOTÁ (Reuters) - A sobrevivência dos líderes da maior guerrilha da Colômbia, as Farc, é cada dia menor, com dois de seus principais chefes feridos e doentes, e por isso devem começar imediatamente um processo de paz com o governo, disse neste domingo o vice-presidente, Francisco Santos. Ele falou a respeito de informações da imprensa local de que o maior comandante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Alfonso Cano, estaria gravemente ferido pelos constantes bombardeios contra seus acampamentos nas montanhas ao sul do país.

Reuters |

Da mesma forma, o líder militar do grupo, 'Mono Jojoy', teria uma ferida aberta que já não teria cura devido ao problema de diabetes.

'Não é somente Alfonso Cano, é Mono Jojoy e todos os dirigentes das Farc que estão sendo cercados e cuja esperança de sobreviver é cada vez menor', disse Santos à rádio privada Caracol.

A Colômbia, fortemente apoiada pelos Estados Unidos, realiza uma ofensiva contra as Farc desde que o presidente Alvaro Uribe assumiu o poder, em 2002.

(Por Javier Mozzo Peña)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG