Colômbia espera para hoje libertação de refém mais antigo das Farc

A operação humanitária que receberá o sargento colombiano Pablo Emilio Moncayo, há 12 anos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), deve partir nesta terça-feira para buscá-lo nas selvas da Colômbia.

iG São Paulo |

No entanto, por causa de fortes chuvas na região do resgate e de nebulosidade , a missão, cuja conclusão era esperada para às 16 horas de Brasília, deve atrasar.

Na noite de segunda-feira, os participantes se preparavam para a missão na cidade de Florencia, a 580 quilômetros ao sul de Bogotá. A senadora da oposição Piedad Córdoba, encarregada pelas Farc de mediar a entrega do militar, chegou a Florencia na tarde de segunda-feira.

EFE
Helicóptero brasileiro cedido para missão
Para facilitar a entrega, as operações militares foram suspensas na área na segunda-feira desde às 18 horas locais (20 horas em Brasília), segundo o comandante das Forças Militares, general Feddy Padilla.

Dois helicópteros brasileiros já chegaram à Florencia para participar da operação, que contará ainda com delegados do Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

Moncayo é o refém mais antigo juntamente com cabo Libio José Martínez, com quem foi capturado em ataque contra uma base de comunicações do Exército no Departamento (Estado) de Nariño em 21 de dezembro de 1997.

Na ação, que deixou 10 soldados mortos, foram sequestrados 16 militares, dos quais apenas Moncayo e Martínez permanecem em poder das Farc.

A libertação de Moncayo se seguirá à do soldado Josué Daniel Calvo , ocorrida domingo numa aldeia do Departamento de Meta (centro-leste).

Os dois militares fazem parte de um grupo de 24 reféns que as Farc planejam trocar por cerca de 500 de seus guerrilheiros presos, algo que o presidente colombiano, Álvaro Uribe, rejeita.

*Com informações da AFP

Leia mais sobre Colômbia

    Leia tudo sobre: colômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG