Colômbia espera chegada da missão humanitária francesa

As autoridades de San José del Guaviare, capital de uma extensa região selvática no sudeste colombiano, asseguram que estão preparadas para receber a missão médica enviada pela França para resgatar e atender à franco-colombiana Ingrid Betancourt e a outros reféns da guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

AFP |

"A infra-estrutura está pronta para receber a missão", avisou o governador de Guaviare, Oscar Lopez. "O importante é que Ingrid Betancourt seja, finalmente, libertada", acrescentou.

A movimentação era normal no aeroporto local, que em janeiro e fevereiro foi ponto de aterrissagem de helicópteros enviados pela Venezuela para receber seis reféns que as Farc entregaram como um gesto de boa vontade ao presidente Hugo Chávez.

Militares camuflados, com fuzis Galil e espingardas, estavam espalhados pelos arredores do aeroporto, em um dia de muito calor, 37°C, e alta umidade.

Na pista, havia dois aviões das Forças Armadas da Colômbia, tipo Hércules, que chegaram com provisões e tropas.

O administrador do terminal aéreo, Dagoberto Vanegas, alertou que, até agora, não recebeu qualquer autorização para o pouso do avião Falcão 50 enviado pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, com a missão de resgate e atendimento médico para Betancourt e outros dos 39 reféns das Farc.

O aparelho está na base militar de Catam, em Bogotá, aonde chegou na madrugada de ontem, procedente da ilha caribenha de Martinica.

Marcos Sena, o prefeito da cidade de 65 mil habitantes, assegurou que está tudo em ordem para a chegada da missão, ainda que desconheça quando isso será.

"Ainda não temos confirmação oficial sobre a chegada do pessoal médico. E ainda não recebemos requerimento com medidas especiais de segurança", comentou.

San José é a capital do departamento de Guaviare, com mais de 42 mil km2, área duas vezes maior do que a Suíça, e na qual as Farc e os grupos paramilitares de extrema-direita têm forte presença.

Essa presença é um fator agravante para a tranqüilidade da cidade. O padre católico Luis Hernando Betancur, pároco de San José, foi agredido na última noite, quando um homem tentou invadir sua casa armado com uma faca.

As razões do ataque são desconhecidas, mas moradores locais acreditam que ele foi alvo, devido aos contatos que buscava com as Farc para que elas aceitem a missão médica francesa, versão que o religioso desmentiu.

axm/cl/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG