Colômbia eleva patente de militar sequestrado pelas Farc

BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia promoveu nesta segunda-feira ao posto de general maior um oficial da polícia sequestrado há mais de 10 anos pelas Farc, no que o transformou no refém de maior graduação sob poder da guerrilha. O presidente colombiano, Alvaro Uribe, entregou as insígnias a María Teresa Paredes, esposa do oficial Luis Mendieta, que ostentava o posto de coronel quando foi sequestrado pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), em novembro de 1998.

Reuters |

A promoção se deu com base em uma lei que permite elevar de função os efetivos das Forças Armadas que estejam ou tenham sido sequestrados por grupos armados ilegais e que permite melhorar as condições econômicas de suas famílias.

"Recebo (a promoção) com bastante humildade, com um agradecimento enorme", disse a esposa do militar sequestrado.

O diretor da Polícia Nacional, general Oscar Naranjo, disse que a promoção é um reconhecimento do valor e coragem de Mendieta, que não renunciou a seus princípios apesar do cativeiro.

"É um prêmio que reconhece e exalta o compromisso de verdadeiros heróis com a instituição", disse o militar.

As Farc mantêm atualmente sob seu poder 22 efetivos do Exército e da polícia capturados em combates e buscam trocá-los por cerca de 500 rebeldes presos.

O governo já havia promovido 11 efetivos das Forças Armadas resgatados em julho de 2008 junto com a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e três norte-americanos.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG