Colômbia e Equador se reunirão de novo antes de Assembléia Geral de OEA

Washington, 14 mai (EFE).- Colômbia e Equador manterão uma nova reunião bilateral antes da 38º Assembléia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) que será realizada entre 1º e 3 de junho em Medellín, informaram à Agência Efe fontes do organismo.

EFE |

A data da reunião entre ambos os países ainda não foi determinada, segundo as mesmas fontes.

O futuro encontro entre Bogotá e Quito será o terceiro que os dois países vizinhos realizam para tentar avançar no restabelecimento das relações bilaterais.

Quito rompeu suas relações com Bogotá, após a operação militar colombiana no dia 1º de março contra um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território equatoriano.

A primeira reunião entre Equador e Colômbia depois da incursão colombiana aconteceu no dia 29 de abril no Panamá no marco da missão de bons ofícios convocada pelo secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza.

O principal responsável do organismo interamericano encarregou o diretor de Sustentabilidade Democrática e de missões especiais do organismo, o boliviano Víctor Rico, a tarefa de mediar na crise e tentar restabelecer a confiança e as relações diplomáticas entre ambos os países.

O segundo encontro bilateral aconteceu na terça-feira em Lima (Peru) entre os vice-chanceleres do Equador e da Colômbia.

Rico se mostrou ontem confiante de que os dois países vizinhos normalizarão em breve suas relações tendo em vista os "avanços" que se produziram nas conversas bilaterais.

Os progressos a serem produzidos no diálogo entre ambos os países serão analisados em reunião de consulta de chanceleres na Assembléia Geral da OEA, à qual Insulza terá que apresentar um relatório detalhado sobre as atividades da missão e sobre o cumprimento da resolução aprovada em 18 de março em Washington.

A resolução destacou a plena vigência do princípio de soberania territorial e rejeitou a incursão de forças militares e soldados da Colômbia em território do Equador.

Também registrou as plenas desculpas da Colômbia e o compromisso do país de que o fato não se repetirá em nenhuma circunstância. EFE cai/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG