Colômbia diz que jamais pensou em atacar Venezuela

"A Colômbia recorreu aos canais do direito internacional e seguirá insistindo nesses mecanismos", disse o governo em comunicado

EFE |

A Colômbia reiterou neste sábado que jamais pensou em atacar a Venezuela e acusou o presidente desse país, Hugo Chávez, de "enganar" sua própria nação.

"A Colômbia jamais pensou em atacar o irmão povo da República Bolivariana da Venezuela, como diz o Presidente desse país, em um claro engano político a sua própria Nação", diz um breve comunicado divulgado hoje pela Presidência colombiana.

Segundo o texto, "a Colômbia recorreu aos canais do direito internacional e seguirá insistindo nesses mecanismos para que se adote um instrumento que faça com que o Governo venezuelano cumpra com a obrigação de não abrigar terroristas colombianos".

Na sexta-feira, Chávez disse que reviu "planos de guerra" contra o país vizinho porque, segundo ele, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, "é capaz de tudo".

Apesar de repetir que espera a paz não só entre Venezuela e Colômbia, mas também dentro do território colombiano, Chávez anunciou que destacou "unidades de defesa aérea, de infantaria, de operações especiais" em pontos dos mais de dois mil quilômetros da fronteira comum para conter uma eventual "agressão" militar ordenada por Uribe.

O presidente venezuelano também denunciou no mesmo discurso uma suposta violação do espaço aéreo por parte da Colômbia.

Chávez decidiu romper relações com Bogotá no último dia 22 após acusações do Governo colombiano de que guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN) se refugiam em território venezuelano.

    Leia tudo sobre: Venezuelachávezcolômbia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG