Colômbia divulga vídeo do resgate de Ingrid Betancourt

O Ministério da Defesa da Colômbia divulgou nesta sexta-feira um vídeo com imagens do momento do resgate da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e de outros 14 reféns do grupo rebelde Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A gravação mostra a reação de alegria dos reféns quando eles ficam sabendo que não estão sendo transferidos para outro cativeiro na selva colombiana (como pensavam até então), e sim que se trata de uma operação de resgate do Exército.

BBC Brasil |

A operação de resgate durou apenas alguns minutos. No início do vídeo, as imagens mostram os reféns algemados e com olhar abatido enquanto são colocados em um helicóptero.

Com eles estão dois guerrilheiros das Farc. Outros rebeldes podem ser vistos a certa distância.

Há então um corte, no momento em que os militares que operavam a câmera pararam a gravação para ajudar a prender os dois guerrilheiros que acompanhava o grupo de reféns no helicóptero.

A seguir, as imagens já mostram a reação de alegria dos reféns, ao descobrirem que estão sendo resgatados.

Infiltrados
A operação de resgate foi gravada por militares colombianos que se passavam por membros de uma suposta organização não-governamental.

Segundo o governo colombiano, os rebeldes das Farc foram "enganados" por militares infiltrados.

Ainda na quarta-feira, dia do resgate, o ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que os rebeldes entregaram os reféns pensando que seriam transportados no helicóptero de uma suposta organização de ajuda humanitária para outro campo.

A própria Betancourt disse que os reféns pensavam estar sendo transportados para outro cativeiro, como ocorria com freqüência.

Betancourt afirmou que só percebeu que se tratava de um resgate quando viu um de seus captores preso e vendado, no chão da aeronave.

Segundo ela, o comandante da operação disse então: "Somos o Exército nacional, vocês estão em liberdade".

"Saltamos, gritamos, choramos, nos abraçamos. Não podíamos acreditar nesse milagre", disse Betancourt no dia em que foi libertada.

Pagamento
Nesta sexta-feira, o ministro da Defesa negou as acusações de que os governos da Colômbia e da França teriam pagado US$ 20 milhões a guerrilheiros para liberar os 15 reféns.

O ministro disse que o governo tem uma política de pagar por informações relativas às Farcm, mas que nenhum pagamento foi feito pela libertação dos reféns.

As acusações, feitas por uma fonte anônima citada pela Rádio Suíça Romanda, eram de que o Exército colombiano teria realizado uma "montagem cênica" no resgate dos 15 reféns e teria pagado aos carcereiros para libertá-los.

O comandante das Forças Armadas da Colômbia, general Freddy Padilla de León, voltou a afirmar que uma operação de infiltração no Secretariado das Farc possibilidou o resgate.

Nesta sexta-feira, Betancourt, que tem dupla nacionalidade colombiana e francesa, chegou a Paris, onde foi recebida pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy.

Betancourt foi recebida com festa na França, onde se tornou uma espécie de ícone no país, um símbolo do drama de reféns em todo o mundo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG