BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia desarticulou uma organização de tráfico de imigrantes de países africanos e asiáticos que no último ano levou ilegalmente aos Estados Unidos mais de mil pessoas, informou nesta segunda-feira a Central de Inteligência. Na operação do Departamento Administrativo de Segurança (DAS), a mais recente e eficiente contra o tráfico ilegal de pessoas, quatro pessoas foram presas.

"Essa estrutura mobilizava principalmente cidadãos de Somália, Eritreia, Etiópia, Bangladesh, Nepal, China, Índia e Sri Lanka, que entravam irregularmente na Colômbia desde países como Brasil, Equador e Venezuela", apontou um comunicado do DAS.

O organismo de segurança revelou que os estrangeiros eram transportados pelo território da Colômbia e logo levados para a América Central para depois chegar aos Estados Unidos, o destino final.

"De acordo com as investigações, durante o último ano esta organização teria mobilizado mais de mil pessoas da África e Ásia pelo território nacional", detalhou o DAS.

As investigações permitiram estabelecer que os estrangeiros eram instalados nos portos caribenhos de Cartagena, Barranquilla e San Andrés, desde onde eram levados em pequenas embarcações até países da América Central, como Panamá, Nicarágua, Honduras e Costa Rica.

Posteriormente, a rota continuava por via terrestre até a Guatemala e o México, por onde entravam nos Estados Unidos de maneira irregular, na região de fronteira.

Nos últimos dois anos, as autoridades de imigração colombianas deportaram e expulsaram mais de mil cidadãos estrangeiros, a maioria chinesa, que estavam ilegalmente em seu território e que pareciam querer ir aos Estados Unidos.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.