expansionista de Chávez - Mundo - iG" /

Colômbia denunciará na OEA projeto expansionista de Chávez

Washington, 24 ago (EFE).- O embaixador colombiano na Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Alfonso Hoyos, denunciará ao Conselho Permanente do organismo todas as ações do projeto expansionista que, segundo ele, a Venezuela impulsiona na Colômbia.

EFE |

Fontes da missão da Colômbia na OEA disseram hoje à Agência Efe que os 33 países-membros ativos do organismo já receberam o comunicado emitido por Hoyos no domingo por meio de sua Chancelaria.

Na quarta-feira, o diplomata denunciará a Venezuela perante a OEA como parte de outros assuntos da agenda, que ainda não foi divulgada oficialmente, relataram as mesmas fontes.

O comunicado do embaixador colombiano diz que o Governo de seu país "repelirá todas as ações do projeto expansionista na Colômbia ratificado hoje (domingo) publicamente pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez".

O Governo da Venezuela já reagiu à denúncia de Hoyos, que chamou de "fantasiosa" e "emotiva".

Em comunicado divulgado em Caracas, a missão permanente da Venezuela na OEA ressaltou "a curiosa natureza" do documento que contém a denúncia, no qual "se inserem expressões fantasiosas e emotivas em resposta a uma mensagem de paz do presidente Hugo Chávez à grande maioria dos cidadãos de nossa república irmã".

Como não há moções dentro da OEA, Hoyos fará sua queixa aos outros 32 Estados-membros contra o que entende como um "descarado intervencionismo" de Chávez nos assuntos da Colômbia.

Hoyos anunciou esta medida em declarações à rádio colombiana "Caracol", após comentar as últimas declarações do presidente venezuelano no domingo, quando Chávez pediu a sua ministra de Informação, Blanca Eckhout, que "faça tudo o que for necessário" para que suas mensagens e reivindicações sejam conhecidas pelo povo colombiano.

"A burguesia colombiana tem medo de que a voz de Chávez seja ouvida pelo povo da Colômbia", disse o presidente da Venezuela em seu programa dominical de rádio e televisão "Alô Presidente".

Hoje, Hoyos disse em Washington à edição digital do jornal "El Tiempo" que o discurso de Chávez é "insultante e grosseiro, falao de uma intervenção aberta na política da Colômbia". EFE cae/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG