Bogotá, 25 jan (EFE).- As autoridades colombianas capturaram na cidade de Cúcuta, fronteiriça com a Venezuela, o segundo no comando da guerrilha do Exército de Libertação Popular (EPL).

Carmen de Jesús Villalba, conhecido como "Carmelo", foi preso por participar de ataques com explosivos contra as forças de segurança e grupos de civis encarregados de erradicar cultivos da folha de coca no nordeste da Colômbia.

Segundo a Direção de Investigação Criminal (Dijín) da Polícia, ele é acusado também de ordenar um atentado que matou 16 soldados e detetives em abril de 2006.

"Carmelo" é considerado ainda responsável pelo cultivo, processamento e comercialização de narcóticos, principal fonte de financiamento para a guerrilha, além de participar de extorsões e sequestros de comerciantes.

Segundo a Polícia, Villalba assumiu como segundo no comando do EPL depois da morte em combate de seu irmão e da saída do país de outro líder do grupo.

A guerrilha do EPL, que no país só não é maior que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o Exército de Libertação Nacional (ELN), foi fundada em 1965 e já teve centro de operações nos departamentos (estados) de Antioquia, Córdoba, Sucre e Magdalena Medio.

Em 1991, a guerrilha negociou sua desmobilização com o Governo César Gaviria, mas muitos homens passaram a integrar grupos paramilitares e outros continuaram como milícias em Medellín e algumas regiões do noroeste da Colômbia.

As autoridades da Colômbia acreditam que há cerca de 200 guerrilheiros em três frentes ainda em atividade no país. EFE fer/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.