Colômbia acusa viciados em drogas de contribuírem à destruição de florestas

Nações Unidas - O vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, acusou nesta sexta-feira os narizes dos viciados europeus e americanos de ser os responsáveis pelo fato de o país ter perdido, em 15 anos, mais de dois milhões de hectares de floresta para os produtores de coca.

EFE |

Santos apresentou perante o Fórum das Florestas das Nações Unidas o chamado "programa de responsabilidade compartilhada", com o qual o governo colombiano quer conscientizar para o impacto social e ambiental que o narcotráfico tem no país.

"A cada ano, 15 mil hectares de floresta são destruídos para que os americanos e europeus encham os narizes", disse o vice-presidente colombiano em discurso.

Ele afirmou que o cultivo de coca e a produção de cocaína causaram um "ecocídio" silencioso no coração das regiões selváticas colombianas.

No entanto, a indústria do narcotráfico destrói e queima regiões remotas da floresta para cultivar a planta que dá origem à folha de coca, que, posteriormente, é tratada em laboratórios clandestinos com produtos químicos altamente poluentes para que se transforme na pasta com a qual se produz a cocaína.

"A cada vez que se cheira um grama de coca, quatro metros quadrados de floresta virgem são destruídos", ressaltou.

As consequências ambientais do tráfico de drogas são um problema que, até agora, permaneceu invisível aos organismos e à comunidade internacional, criticou Santos.

O ministro advertiu de que é hora de Europa e Estados Unidos deixarem de expressar preocupação com o tráfico de drogas, e passarem a uma "atuação agressiva" em colaboração com os países de onde os entorpecentes se originam.

"A Europa está passando por um auge da cocaína como o que se viveu nos Estados Unidos nos anos 80", ressaltou.

Isso fez com que se multiplique o tráfico de drogas da América do Sul à Europa através dos países da África Ocidental, que se tornaram uma nova plataforma para o crime organizado.


Leia mais sobre cocaína

    Leia tudo sobre: cocainacocaína

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG