Colisão entre trens deixa mais de 60 mortos na China

Uma colisão entre dois trens na província de Shandong, no leste da China, deixou pelo menos 66 mortos e 247 feridos, segundo números oficiais do governo chinês.

BBC Brasil |

O acidente aconteceu às 04h40 da manhã de segunda-feira, horário chinês (17h43 de domingo, horário de Brasília) na linha que liga a capital, Pequim, a Qingdao, cidade litorânea onde serão disputadas as competições de vela durante os Jogos Olímpicos.

Investigações preliminares descartaram a hipótese de atentado terrorista.

Segundo um porta-voz do ministério das Relações Exteriores, entre as dezenas de feridos estão quatro cidadãos franceses, todos hospitalizados com fraturas múltiplas.

A embaixada do Brasil em Pequim afirmou que até o momento não recebeu nenhuma informação sobre brasileiros envolvidos no acidente.


Acidente deixou ao menos 66 mortos / AFP

O acidente ocorreu depois que o trem T195 descarrilou no vilarejo de Hejiacun, nos subúrbios do município de Zibo, a cerca de 70 quilômetros de distância de Jinan, capital da província.

Após descarrilar, cerca de 10 vagões tombaram e caíram em uma vala. Na seqüência, a locomotiva T5034, que ia da cidade de Yantai, em Shandong, para Xuzhou, na província de Jiangsu, atingiu o trem tombado e também acabou descarrilando.

No momento da colisão, a maioria dos passageiros estava dormindo e alguns poucos se preparavam para descer na parada de Zibo.

"De repente senti o trem tremer como uma montanha-russa, virar 90 graus para cada lado e então finalmente sair dos trilhos", descreveu uma passageira identificada como Zhang à agência de notícias estatal Xinhua.

Imagens transmitidas pela televisão chinesa mostravam vagões tombados e retorcidos cercados por sobreviventes em campo aberto.


A polícia chinesa já descartou a possibilidade de terrorismo / AFP

Resgate

O vice primeiro-ministro, Zhang Dejiang, e o ministro das Ferrovias, Liu Zhijun, estão no em Zibo para supervisionar os trabalhos de resgate.

O governo local da província enviou uma equipe de 1500 pessoas para consolar os familiares das vítimas. Nove hotéis e 34 centros de resgate foram reservados para os parentes, informou a imprensa oficial.

Ainda não há previsão de desbloqueio do tráfego no trecho de 384 quilômetros da ferrovia que conecta os principais centros urbanos da província de Shandong.

Esse é o segundo acidente ferroviário ocorrido na conexão Pequim-Qingdao somente nesse ano. Em janeiro, um trem de alta velocidade atropelou um grupo de operários que trabalhava na linha na altura da cidade de Anqiu. O acidente deixou 18 mortos e nove feridos.

Antes da colisão desta segunda-feira, o incidente com maior número de fatalidades na história recente da China ocorreu em 1997, quando dois trens colidiram na província de Hunan, região central do país, deixando mais de 100 mortos.

Leia mais sobre: acidente

    Leia tudo sobre: acidente de trem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG