Colisão de trens deixa 70 mortos no leste da China

Pelo menos 70 pessoas morreram e 420 ficaram feridas no choque de dois trens nesta segunda-feira na província de Shandong (leste da China), em um dos mais graves acidentes ferroviários no gigante asiático em uma década.

AFP |

Pouco depois das 4H40 locais (17H40 de Brasília, domingo), um trem expresso que seguia de Pequim para o porto de Qingdao colidiu com um trem de passageiros perto da cidade de Zibo, en Shandong, segundo a agência oficial Xinhua (Nova China).

O primeiro trem tinha como destino Qingdao, que receberá em agosto as competições olímpicas de iatismo. O segundo viajava de Yantai, outro porto de Shandong, a Suzhou, na província de Jiangsu (leste).

A causa da catástrofe foi erro humano, informaram as autoridades, que descartaram a hipótese terrorista.

Cinqüenta e sete pessoas morreram na hora, de acordo com a Xinhua.

Entre os feridos estão quatro franceses, que foram internados por fraturas, informou uma fonte do gabinete das Relações Exteriores da província de Shandong.

Fotos divulgadas pelos meios de comunicação chineses mostram vagões inclinados ao lado das vias.

"Estávamos dormindo quando aconteceu o acidente", explicou uma testemunha de 30 anos, que sobreviveu ao lado da filha de 13 anos.

"Acordei quando o trem parou de repente. Um ou dois minutos depois, começou a andar e depois virou", acrescentou.

Algumas horas depois do acidente, imagens divulgadas na Internet mostravam sobreviventes sentados nas vias, envolvidos por cobertores.

De acordo com a televisão oficial chinesa, todos os feridos foram hospitalizados e 51 deles estão em situação grave.

"Recebemos quase 40 feridos, nenhum faleceu, mas alguns estão em estado grave", declarou por telefone à AFP uma enfermeira do hospital ferroviário de Zibo.

No hospital de Zhoucun, uma enfermeira também informou que vários feridos foram internados e que nenhum faleceu no centro médico.

O presidente chinês Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao enviaram o vice-premier Zhang Dejiangse para comandar as operações de emergência.

"O local da catástrofe foi isolado e só as ambulâncias podem passar. A polícia está no local para manter a ordem, as autoridades estão presentes", declarou à AFP um funcionário do governo do distrito de Zhoucun.

Das cidades vizinhas de Jinan e de Weifang chegaram equipes de emergência, com médicos e policiais, informou o porta-voz do governo provincial.

As ferrovias foram cenário de vários acidentes nos últimos anos na China. Um dos acidentes mais graves, um choque de trens em 1997, deixou 126 mortos e quase 200 feridos em Hunan.

frb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG