O Exército dos Estados Unidos admitiu nesta sexta-feira que os helicópteros nos quais viajavam os quatro militares americanos mortos no final de janeiro se chocaram após disparos inimigos no norte do Iraque.

"Uma investigação detalhada (...) estabeleceu que os dois helicópteros 0H-58 foram atacados e atingidos no momento em que efetuavam missão de reconhecimento", informou à AFP o tenente-coronel David Doherty, porta-voz do Exército americano no norte do Iraque.

"Ao efetuar manobras para fugir dos tiros, os dois OH-58 entraram em rota de colisão, causando a perda catastrófica dos aparelhos e da tripulação", acrescentou o tenente-coronel Doherty.

No dia 25 de janeiro, quatro pilotos americanos morreram perto de Kirkuk, a 255 km ao norte de Bagdá. Uma fonte iraquiana havia indicado à AFP que o acidente se produziu depois do choque dos dois aparelhos.

Um grupo insurgente, "O Exército de Nakchabandiya", reivindicou a derrubada dos aparelhos em seu site, mas as forças americanas desmentiram que os dois helicópteros OH-58, Kiowa Warriors, tivessem sido abatidos por rebeldes.

kat/sk/sd/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.