Colecionadora paga US$ 10,7 mil por carta de Hitler a jornalista

LONDRES - Uma colecionadora americana pagou 8 mil libras (aproximadamente US$ 10,7 mil) por uma carta do ditador alemão Adolf Hitler a um jornalista britânico que lhe pediu que escrevesse um artigo sobre a crise econômica na Grã-Bretanha.

EFE |

"Foi uma pechincha", afirmou a colecionadora, Kenneth Rendell, ao jornal "The Times".

Kenneth disse que ficou muito satisfeita, pois estava disposta a pagar até 50 mil libras (US$ 62,7 mil) pela peça.

A carta, leiloada na terça-feira na casa Bohmams, de Londres, é datada de 30 de setembro de 1933. O texto foi escrito com uma máquina de escrever, e tem a assinatura de Hitler, que demonstrava vontade de manter boas relações com o Reino Unido.

Apesar de negar o convite feito pelo jornalista Sefton Delmer, então correspondente do jornal "Daily Express" em Berlim, para que escrevesse sobre a crise britânica, Hitler expressou ao jornalista sua esperança de que os dois países chegassem a assinar um acordo bilateral.

"Seria bom (...) se superássemos de tal modo a desgraçada psicose de guerra (dos doze últimos anos) para permitir se transformar em realidade a relação verdadeiramente cordial dos povos britânico e alemão que tanto desejamos eu e meu movimento", escreveu Hitler.

O político nazista justifica sua recusa a comentar a crise econômica britânica para o periódico porque o artigo que foi pedido seria interpretado pelo público britânico como uma crítica ao país e uma ação "presunçosa" por sua parte.

Delmer, que fez a proposta, tinha estudado na Alemanha, e falava a língua do país. Ele tinha boas relações com os nazistas, e em 1931 o Ministério britânico de Exteriores chegou a suspeitar que ele fosse um agente alemão.

O jornalista foi o primeiro correspondente britânico a entrevistar a Hitler e chegou a viajar em seu avião durante a campanha eleitoral de 1932. EFE jr/fm

    Leia tudo sobre: hitler

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG