COI diz que Pequim foi a escolha correta para sediar os Jogos

Pequim, 24 ago (EFE).- O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, disse hoje em seu balanço final que é possível afirmar sem dúvida nenhuma que a escolha de Pequim foi a correta para sediar os Jogos Olímpicos.

EFE |

"O COI e o Movimento Olímpico não podem forçar mudanças em nações soberanas ou resolver todos os problemas do mundo. Mas podemos contribuir para uma mudança positiva no mundo através do esporte", disse Rogge, em uma clara resposta às vozes que criticaram o organismo por não ter assumido uma postura mais dura em relação à China.

O presidente do COI comentou ainda que "algumas mudanças já são óbvias hoje no país, e que outras vão se tornar realidade com o tempo".

Rogge também falou sobre os momentos marcantes dos Jogos de Pequim, como "as espetaculares exibições de Michael Phelps e Usain Bolt, que foram inesquecíveis".

Além disso, citou a camaradagem demonstrada por atletas de países que estão em conflito, como Geórgia e Rússia, e comentou a lesão do ídolo local Liu Xiang e as "lágrimas de alegria de atletas que superaram tragédias e dificuldades".

"Os Jogos não são apenas uma vitrine dos melhores desportistas do mundo. Ajudam a romper barreiras e a diminuir diferenças. Estes Jogos são históricos também porque aconteceram pela primeira vez na nação mais povoada do planeta", afirmou.

"Os Jogos representam um sonho que se tornou realidade e uma fonte de inspiração para as jovens gerações da China. O legado destes Jogos é para o povo chinês", assinalou.

Rogge comentou também a participação recorde de 204 países nos Jogos de Pequim, a presença de 88 nações no quadro de medalhas e o fato de que 45% dos atletas eram mulheres.

Além disso, ressaltou que foram batidos mais de 40 recordes mundiais e 120 recordes olímpicos em Pequim.

Rogge falou ainda sobre a tecnologia usada para levar as imagens dos Jogos Olímpicos de Pequim a todo o planeta.

"Estes foram os primeiros Jogos com cobertura da TV digital, e os mais vistos da história pela televisão", afirmou.

O presidente do COI se referiu de forma especial às centenas de milhares de voluntários que trabalharam durante os Jogos.

"Quero agradecer a todos pela cooperação. Levamos conosco seus sorrisos, seu entusiasmo e sua constante vontade de ajudar. Vocês são o futuro da China, e desejamos o melhor a todos", concluiu. EFE jm/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG