COI discute poluição e censura a jornalistas em Pequim

Autoridades do Comitê Olímpico Internacional (COI) estão reunidas em Pequim para discutir o índice de poluição na cidade-sede das Olimpíadas e as restrições de acesso à internet impostas a jornalistas durante os jogos. O presidente do COI, Jacques Rogge, chegou a Pequim em meio à polêmica causada com o anúncio, esta semana, de que determinados sites sobre assuntos considerados sensíveis permanecerão bloqueados mesmo quando o evento esportivo começar, na próxima sexta-feira.

BBC Brasil |

O correspondente da BBC em Pequim Alex Capstick, disse que as autoridades do COI querem saber por que alguns site estarão proibidos apesar da promessa feita pelo país, quando se candidatou para sediar os Jogos, sete anos atrás, em prover acesso irrestrito à internet para profissionais de comunicação.

Em rara coletiva de imprensa, o presidente chinês, Hu Jintao, pediu esta semana que a mídia internacional não use os jogos "para falar de política".

Controle
Mais de 20 mil profissionais são esperados na capital chinesa para a cobertura dos Jogos Olímpicos. A seis dias da abertura do evento, muitos já começam a se instalar nos centros de imprensa montados especialmente para a ocasião.

Na terça-feira, profissionais manifestaram impossibilidade de acessar o site da organização de direitos humanos Anistia Internacional, que divulgará um relatório crítico sobre a situação dos direitos humanos na China às portas do início das Olimpíadas.

Outras páginas sobre temas como a situação no Tibete permaneciam com acesso bloqueado.

O governo chinês mantém um controle rígido sobre a mídia do país. Um relatório divulgado pelo órgão chinês de monitoramento da internet afirmou que o acesso à rede web já chega a 253 milhões de pessoas - em uma população total de cerca de 1,4 bilhão -, o maior contingente do mundo em termos absolutos.

Poluição
A poluição do ar em Pequim continua sendo um dos temas de preocupação para o COI.

As autoridades chinesas vêm implementando medidas para melhorar a qualidade do ar em Pequim, mas atletas continuam preocupados.

Steve Roush, chefe de desempenho esportivo da equipe olímpica americana, disse estar monitorando a situação de perto e está otimista.

"Nós temos planos alternativos se as condições se deteriorarem a ponto de colocar a saúde e segurança de nossos atletas em risco", disse ele.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG