COI analisará problemas em revezamento da tocha olímpica, diz Rogge

Pequim, 8 abr (EFE).- O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, disse hoje que o organismo debaterá os problemas ocorridos durante o revezamento da tocha olímpica, e ficará atento ao que ocorrerá nas duas próximas cidades por onde a chama passará, San Francisco e Buenos Aires.

EFE |

"O Comitê Executivo (do COI) certamente discutirá o revezamento, pois não fazê-lo seria incompreensível. Vamos dar tempo até a sexta e a sétima passagens", disse Rogge hoje em Pequim, onde o organismo se reunirá nas próximas quinta e sexta-feira.

"Analisaremos o que acontecerá, e tiraremos nossas conclusões durante a reunião", acrescentou o presidente, que não quis dar mais detalhes sobre qual será o conteúdo exato dos debates.

"Um símbolo de paz e unidade foi atacado. Defendemos a liberdade de expressão, mas sem violência", ressaltou Rogge.

As declarações de Rogge chegam depois que a porta-voz do COI, Giselle Davies, adiantou que não pode dizer claramente se o revezamento da tocha continuará como o programado.

A passagem da tocha pelas cidades de Londres e Paris, nos dias 6 e 7 de abril, transcorreu de maneira muito distante da desejada, devido aos protestos de ativistas contra o regime chinês por sua violação dos direitos humanos e sua repressão no Tibete.

A próxima cidade a receber a tocha, San Francisco, deve seguir a tendência das capitais européias, com vários protestos já anunciados, apesar de o Governo chinês ter dito hoje que confiava que a passagem aconteceria "sem problemas e de forma segura". EFE rm/ev/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG