The Guardian - Mundo - iG" /

Cocaína espalha violência pela A.Latina, diz The Guardian

Londres, 9 mar (EFE).- A produção de cocaína estendeu-se a vários países da América Latina e desencadeou uma onda de violência e de deslocamentos populacionais que fazem com que alguns reivindiquem um enfoque de guerra contra o narcotráfico, informa hoje o jornal britânico The Guardian.

EFE |

Segundo o veículo, que entrevistou funcionários, plantadores de coca, refugiados e políticos, mais de 750 milhões de cocaína são exportados anualmente da região dos Andes.

Além disso, o tráfico força muitos agricultores a abandonar suas terras, que viram cenário de conflitos entre quadrilhas, e corrompe as instituições do Estado, diz o jornal.

No México, seis mil pessoas morreram no ano passado em crimes ligados ao narcotráfico, e a violência está se deslocando rumo aos Estados Unidos.

Ao mesmo tempo, cresceu rapidamente uma nova rota do narcotráfico entre a América do Sul e a África Ocidental.

Quase todos os entrevistados pelo "Guardian" coincidiram ao dizer que o elevado consumo de cocaína na Europa e na América do Norte frustraram os esforços, liderados pelos Estados Unidos, de asfixiar a oferta e causaram um forte dano à América Latina.

"Achamos que a guerra contra as drogas foi um fracasso porque não foi possível alcançar nenhum dos objetivos", declarou César Gaviria, ex-presidente da Colômbia e co-presidente da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia.

Segundo Gaviria, "as políticas de proibição baseadas na erradicação e na criminalização não deram os resultados esperados".

"Estamos hoje mais longe que nunca do objetivo de erradicar as drogas", disse.

A comissão que Gaviria preside reivindica "uma mudança de paradigma", que substitua a repressão por um enfoque mais centrado na saúde pública e inclua a descriminalização da maconha.

"A estratégia dos Estados Unidos na Colômbia e no Peru, de lutar contra a matéria-prima, não funcionou", afirma, por sua vez, o coronel René Sanabria, chefe da Polícia antinarcóticos da Bolívia.

EFE jr/pq/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG