Coalizão liderada pela Al Qaeda ameaça eleições iraquianas

Cairo, 13 fev (EFE).- A coalizão terrorista Estado Islâmico do Iraque, dominada pela Al Qaeda, ameaçou hoje impedir a realização das eleições legisltativas do país, que, destacaram, constituem um suicídio e um crime político.

EFE |

"Após consultas a ulemás, chefes tribais e mujahedines, decidimos impedir a realização desse pleito com todos os recursos legítimos possíveis", afirmou o líder da organização, Abu Omar al-Baghdadi, em uma gravação divulgada na internet.

Em 7 de março, os iraquianos participarão da segunda eleição parlamentar convocada no país desde a queda do regime de Saddam Hussein, em 2003.

"Somos testemunhas de uma preparação militar, informativa e psíquica de uma obra teatral perigosa chamada de eleições parlamentares", destacou Baghdadi na gravação.

"Essas eleições são ilícitas do ponto da legislação de nosso senhor (Deus)", acrescentou o líder terrorista, segundo quem o pleito será fraudado.

"O primeiro e último objetivo dessa votação é humilhar os sunitas do Iraque", afirmou.

O Estado Islâmico do Iraque, formado em 2006, é um conglomerado de grupos radicais islâmicos liderados pela Al Qaeda. Ao grupo são atribuídos os mais sangrentos atentados registrados em Bagdá nos últimos meses.

A figura Baghdadi é cerca de mistério. Em maio, o Governo iraquiano chegou a dizer que o deteve. Mas, para alguns analistas, não existe uma pessoa com esse nome, que seria usado por várias pessoas. EFE aj/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG