Coalizão dos EUA anuncia investigação sobre a morte de 76 civis afegãos

A coalizão liderada pelos Estados Unidos no Afeganistão anunciou neste sábado a abertura de uma investigação para esclarecer a suposta morte de 76 civis afegãos, incluindo várias mulheres e crianças, em um bombardeio.

AFP |

Segundo a coalizão, um ataque no distrito de Shindand matou 30 militantes talibãs e não civis. Já o ministério afegão do Interior afirma que há 76 mortos, incluindo 50 crianças e 19 mulheres.

"Todas as denúncias de mortes de civis são levadas seriamente", destaca um comunicado da coalizão divulgado na base americana de Bagram, ao norte de Cabul.

"As forças da coalizão estão empenhadas em evitar a perda de vidas inocentes e abrimos uma investigação", prossegue o texto.

Se o incidente for confirmado, será um dos piores massacres de civis desde que as tropas internacionais invadiram o país, em 2001, para tirar os talibãs do poder.

Na véspera, o ministério do Interior afegão informou que um bombardeio da coalizão internacional comandada pelo exército americano deixou 76 civis mortos, a maioria mulheres e crianças, no oeste do Afeganistão.

O presidente afegão Hamid Karzai, por sua vez, condenou "o martírio de mais de 70 inocentes, em sua maioria crianças e mulheres", segundo um comunicado.

No local dos fatos, uma manifestação dos habitantes degenerou em distúrbios e os soldados afegãos abriram fogo, ferindo duas pessoas.

Os manifestantes gritavam slogans contra a coalizão e o governo de Karzai, segundo as testemunhas.

Neste sábado, dez civis morreram na explosão de uma bomba na passagem do microônibus onde estavam, no sul do Afeganistão, informou uma fonte policial.

"Uma bomba escondida na beira da estrada ligando Kandahar a Cabul explodiu no início da tarde na passagem de um microônibus, matando 10 civis, entre os quais duas crianças, e ferindo quatro pessoas", declarou à AFP o chefe da polícia da província de Kandahar, Matiullah Khan.

O atentado, cometido a 20 km de Kandahar, a grande cidade do sul do Afeganistão, ainda não foi reivindicado, mas esta cidade é um dos feudos dos rebeldes talibãs.

Além disso, um juiz e seu filho de 14 anos foram assassinados diante de sua casa, ao sul de Kandahar, por dois homens armados que fugiram de moto, acrescentou o chefe de polícia, que acusou os talibãs.

Na província vizinha de Helmand, outro feudo talibã e principal centro de produção de ópio do país, 17 rebeldes morreram sexta-feira em combates contra as forças de segurança afegãs, segundo o chefe da polícia local, Mohammad Hussein Andiwal.

Em Ghazni, no centro do país, seis talibãs morreram em confrontos travados na madrugada deste sábado, informou o porta-voz do governador, Ismael Jehangir.

Os talibãs lançaram uma insurreição mortífera desde que foram expulsos do poder no fim de 2001 por uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

Durante los cuatro primeros meses del año 2008, murieron cerca de 200 civiles afganos por fuego de las fuerzas armadas internacionales, la mayoría en ataques aéreos, señaló en mayo un relator especial de la ONU, Philip Alston.

bur-thm/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG