Coalizão do Governo paquistanês vota restituição de juízes no dia 12

Islamabad, 2 mai (EFE) - Os dois principais partidos do Paquistão chegaram a um acordo para restituir aos seus cargos os juízes do Tribunal Supremo suspensos pelo presidente paquistanês, Pervez Musharraf, mediante uma resolução que será votada em 12 de maio, anunciou hoje o líder da Liga Muçulmana-N (PML-N), Nawaz Sharif.

EFE |

Sharif se reuniu nos últimos dias em Dubai com o líder do Partido Popular do Paquistão (PPP), Asif Ali Zardari, e, ao voltar, disse que ambos tinham chegado a um acordo para que os juízes retornem a seus cargos anteriores ao estado de exceção.

"Deixei muito claro que a Liga Muçulmana não continuaria fazendo parte do Gabinete (de Governo) se os juízes não fossem restaurados", disse Sharif após um encontro do Comitê Central de Trabalho de sua legenda.

Sharif propôs a Zardari uma aliança para conseguir a destituição do presidente e disse ter tentado convencê-lo a manter os militares afastados da política.

Os juízes foram suspensos em 3 de novembro, depois que Musharraf decidiu declarar o estado de exceção, mas o resultado das eleições legislativas de fevereiro fez com que chegassem ao poder os partidos de oposição, favoráveis à volta dos magistrados ao cargo.

Zardari e Sharif, líderes dos dois partidos mais votados nas últimas eleições legislativas no Paquistão, assinaram um acordo para formar um Governo de coalizão -já em andamento- que previa a reabilitação da alta magistratura.

Nesse acordo, assinado em Murree, as duas legendas se comprometeram a restituir os magistrados, mas divergiam sobre como fazer isso.

Sharif revelou hoje que a restituição poderia requerer uma resolução parlamentar elaborada por um comitê de cinco membros, que deverá concluir seus trabalhos nos próximos dias. EFE igb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG