Coalizão de esquerda mantém maioria na Noruega

A coalizão de esquerda no governo da Noruega conservou a maioria no Parlamento após as eleições legislativas desta segunda-feira, segundo projeções baseadas em 63% dos votos.

AFP |

A coalizão governista, que reúne a esquerda socialista e o partido centrista, obteve 87 das 169 cadeiras do Parlamento, contra 82 para a direita, sendo 40 dos populistas do Partido do Progreso.

São necessárias 85 cadeiras para se obter a maioria absoluta e o resultado de hoje repete a performance da coalizão de esquerda nas legislativas anteriores, em 2005.

Os primeiros resultados foram recebidos com muita prudência pelos líderes da coalizão que ocupa o governo.

"São bons resultados, mas é preciso manter a calma", declarou após a divulgação das pesquisas Raymond Johansen, presidente do Partido Trabalhista, principal formação do país.

"Não podemos dizer nada de seguro sobre os resultados", disse Kristin Halvorsen, líder do Partido Esquerda Socialista. "Mas a vitória parece estar ao nosso alcance", acrescentou.

No poder desde 2005, o governo de esquerda fez campanha com a promessa de reforçar a atuação social do Estado e de defender o emprego no país escandinavo rico em petróleo.

A oposição de direita se comprometeu a reduzir os impostos e fazer privatizações.

Quinto exportador mundial de petróleo e terceiro exportador mundial de gás, a Noruega constitui um dos maiores fundos soberanos do mundo. No fim de junho, esse fundo petroleiro somava 277 bilhões de euros.

Mantendo-se com obstinação fora da União Européia (UE), o país tem agora a taxa de desemprego mais baixa da Europa (3,0%), mas muitos noruegueses estão descontentes com os altos impostos.

phy/dm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG