CNE não comenta denúncia de que Chávez usa recursos públicos em campanha

Caracas, 18 ago (EFE) - O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela se distanciou hoje da denúncia de um de seus diretores de que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, viola a lei ao usar recursos do Estado para promover seus candidatos nas eleições de novembro. Essa denúncia foi feita na sexta-feira passada pelo reitor Vicente Díaz, um dos cinco principais membros do CNE. Segundo Díaz, Chávez estaria usando recursos do Estado, como o programa Alô Presidente, para promover candidatos do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). Foram a título pessoal e não correspondem a um pronunciamento formal do CNE, disse hoje em entrevista coletiva a presidente deste organismo, Tibisay Lucena. Díaz também acusou o canal de televisão estatal Venezolana de Televisión (VTV) de promover permanentemente as candidaturas do PSUV. Ele também afirmou que diretores de programas dessa cadeia, cujos salários são pagos com dinheiro de todos os venezuelanos, utilizam roupas com as siglas do partido governista e que alguns deles são candidatos. Isso é proibido por lei, reiterou. Díaz acrescentou que cabe ao CNE e à Controladoria anular esse desequilíbrio gerado pela suposta vantagem oficial e aplicar as sanções necessárias.

EFE |

A campanha para as eleições regionais e municipais de 23 de novembro começará oficialmente no próximo mês, mas há semanas são comuns as propagandas.

Horas depois da denúncia do reitor do CNE, a jornalista da "VTV" e diretora do PSUV, Vanessa Davies, negou que os veículos de comunicação do Estado "estejam comprometidos" com as atividades proselitistas dessa organização, fundada por Chávez em 2007 para reunir cerca de 20 partidos que o apóiam.

As eleições renovarão os titulares dos 23 Governos regionais e das 335 Prefeituras do país, assim como os membros das Assembléias Legislativas regionais, para um total de 603 cargos, a maioria em poder de partidários de Chávez atualmente. EFE ar/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG