CNA vence com folga na África do Sul mas não chega a dois terços

PRETORIA - O partido governista na África do Sul, o CNA, obteve uma grande vitória nas eleições no país, mas não chegou aos dois terços de votos que precisava para garantir uma maioria parlamentar suficiente para realizar grandes mudanças constitucionais com facilidade.

Reuters |

Os resultados finais das eleições --que tornarão o líder do Congresso Nacional Africano, Jacob Zuma, o presidente do país em 9 de maio-- mostraram neste sábado que o partido obteve 65,9 por cento dos votos.

A margem que permitiria ao CNA mudar a Constituição é amplamente simbólica. Apesar de algumas preocupações do mercado sobre se o CNA conseguiria a maioria de dois terços, o partido repetidamente enfatizou que não possui intenção de mudar a Constituição.

Mercados financeiros alertas sobre uma mudança de política para a esquerda sob a Presidência de Zuma podem ver com bons olhos a limitação sobre o poder do partido.

O analista político Steven Friedman afirmou que o resultado significa que o CNA agora precisa se preocupar mais com a oposição do que quando chegou ao poder pela primeira vez há 15 anos.

"O efeito deles não terem obtido os dois terços, apesar da euforia, realmente destaca que houve uma queda de votos para o CNA", afirmou.

Autoridades eleitorais devem anunciar o resultado formalmente no fim do sábado. Eles terão ainda que calcular os números de cadeiras que cada partido irá ter.

Saiba mais sobre Zuma:


Leia mais sobre: África do Sul


    Leia tudo sobre: africa do suláfrica do sul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG