Clinton diz que Brasil deve provar que etanol não destroi Amazônia

São Paulo, 1 jun (EFE).- O ex-presidente americano Bill Clinton afirmou hoje em São Paulo que o Brasil deve demonstrar que sua produção de etanol não destroi a floresta amazônica e desmitificar assim as constantes acusações que recebe nesse sentido.

EFE |

"Se aceitarmos ajuda para resolver nosso problema, podemos piorar o problema com o desmatamento no Brasil, então o que se ganharia? Se o Brasil demonstrar que cultivar cana não destroi ecossistemas, terá o apoio de todo o mundo", comentou Clinton em um congresso mundial sobre etanol.

O ex-presidente encerrou com sua participação o primeiro dia de atividades do Ethanol Summit 2009, congresso mundial que reúne durante três dias em São Paulo representantes de Governos, empresários do setor e especialistas para discutir sobre biocombustíveis.

Clinton qualificou o Brasil como o país com as "matrizes energéticas mais equilibradas do mundo" e destacou sua gestão para substituir o combustível fóssil pelo biocombustível O ex-líder questionou, porém, os altos níveis de desmatamento, especialmente na floresta amazônica.

Clinton fez também uma chamada para que Brasil e EUA "adotem um sistema que dê valor às emissões de carbono", como é feito em Suécia, Dinamarca, Alemanha e Reino Unido.

"Vocês (brasileiros) têm uma eficiência grande na redução de emissões dos transportes e na produção de energia a partir de hidrelétricas, mas vocês são o oitavo maior país em emissões e estão bem próximos de Índia e China", afirmou. EFE wgm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG