Clérigos que encobriram abuso deveriam ser expulsos, diz cardeal

ROMA - O poderoso líder dos bispos italianos, respondendo à crescente pressão sobre o Vaticano, disse neste domingo que aqueles na igreja que negligenciaram, minimizaram ou encobriram casos de abuso sexual contra crianças deveriam ser expulsos.

Reuters |

O cardeal Angelo Bagnasco afirmou em entrevista a um jornal que a pedofilia é um "crime hediondo" e ainda mais grave quando cometido por membros da Igreja. "Até cada uma das pessoas violadas, e suas famílias, eu sinto vergonha e remorso, particularmente nos casos em que não foram ouvidos por aqueles que deveriam ter agido na hora certa", disse ele ao jornal Il Sole 24 Ore.

"Casos comprovados de negligência, subestimação dos fatos, ou encobrimento deliberado, serão processados rigorosamente dentro e fora da Igreja e, como já tem acontecido em alguns casos, terá como resultado a remoção e destituição das pessoas envolvidas."

As palavras de Bagnasco parecem demonstrar uma mudança de postura à medida que o Vaticano, que até agora vem tentando afastar as conversas sobre os encobrimentos, sofre cada vez mais pressão das vítimas de abuso para falar e agir decisivamente para expor os padres predadores.

O Vaticano tem enfrentado crescentes alegações de ter negligenciado e encoberto casos de abuso no passado de crianças por padres nos Estados Unidos e em alguns países europeus por se preocupar mais com a imagem da Igreja do que com as vítimas.

Leia também:


Leia mais sobre Igreja Católica  e Vaticano

    Leia tudo sobre: pedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG