Clérigo paquistanês negocia paz com genro do Taliban

Por Junaid Khan MINGORA, Paquistão (Reuters) - O Taliban disse na sexta-feira que provavelmente prolongará o cessar-fogo no vale do Swat (noroeste do Paquistão), como resultado do encontro de sexta-feira entre um comandante da facção e seu sogro, um clérigo radical libertado pelo governo para negociar a paz.

Reuters |

Maulana Sufi Mohammad, que abjurou a militância ao ser libertado neste ano, tenta convencer o Taliban a calar suas armas e aceitar a oferta do governo para reinstaurar o direito islâmico em grande parte do noroeste paquistanês, inclusive no Swat.

Apesar de muito ter se falado numa desavença entre Sufi Mohammad e seu genro Maulana Fazlullah, líder de uma rebelião do Taliban no Swat no final de 2007, não houve sinais de discrepâncias na reunião.

"Não existem diferenças", disse Muslim Khan, porta-voz do Taliban. "Tomara que vocês ouçam boas notícias dentro de um ou dois dias", acrescentou ele, referindo-se à chance de que a trégua seja prorrogada para além da metade da semana que vem.

Críticos temem que o governo tenha feito demasiadas concessões aos militantes, e que isso leve o vale do Swat a se tornar mais um refúgio para militantes do Taliban e Al Qaeda.

O governo do Paquistão alega que o uso da força contra os militantes poderia alimentar a insurgência, espalhando-a por todo o noroeste. A posição de fraqueza a partir da qual o governo negocia foi demonstrada pela escolha do seu negociador.

Sufi Mohammad liderou em 1994 uma revolta para tentar reinstaurar a sharia (lei islâmica) no Swat, e chegou a liderar milhares de combatentes tribais em uma inútil tentativa de ajudar o Taliban e a Al Qaeda a conter as forças dos EUA e seus aliados em 2001. Ficou conhecido como "Rádio Mulá" por pregar em uma FM pirata.

Mas Mohammad é considerado mais afável que Fazlullah, que se tornou o líder dos militantes no Swat enquanto o sogro passava seis anos na cadeia, depois de ser detido ao voltar da malfadada missão no Afeganistão.

Muitos analistas suspeitam que Mohammad tenha perdido sua influência sobre Fazlullah, que entregou uma lista de exigências ao sogro durante a reunião ocorrida na localidade de Matta, reduto do Taliban nos arredores de Mingora, principal cidade do Swat.

"Eles se reuniram e discutiram como a paz irá retornar para cá, e quais ações precisam ser tomadas para isso", disse Khan, o porta-voz do Taliban, acrescentando que Mohammad deve encaminhar os argumentos do Taliban ao governo.

Os combatentes do grupo islâmico atualmente controlam a maior parte do vale, que fica apenas 130 quilômetros ao norte de Islamabad, capital do Paquistão.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG