Clérigo diz ter provas de abusos sexuais em prisões iranianas

Teerã, 15 ago (EFE).- O clérigo reformista iraniano Mehdi Karroubi, que denunciou a ocorrência de abusos sexuais a detidos nas prisões do Irã, disse hoje que seguirá em frente, apesar das pressões sofridas.

EFE |

Em entrevista ao jornal "Etemad Meli", o ex-candidato presidencial afirma ter provas dos supostos abusos sexuais.

"As pressões nunca vão me silenciar no que diz respeito à defesa dos direitos do povo... Digo às autoridades que jamais conseguirão me silenciar com ameaças e acusações", reiterou Karroubi.

Ele voltou a criticar a rapidez com a qual suas acusações foram desmentidas tanto pelo presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, quanto pelo presidente da comissão de segurança nacional, Alaeddin Boroujerdi.

"Antes de desmentir de forma apressada (minha) carta, deveriam ter me chamado pelo menos para saber se tenho provas ou não", disse o ex-candidato presidencial.

Esta semana Larijani negou as acusações, lançadas por Karroubi no início do mês em carta dirigida ao ex-líder e atual presidente da influente Assembleia dos Especialistas, Ali Akbar Hashemi Rafsanjani.

Em carta enviada na sexta-feira e divulgada parcialmente hoje pela televisão estatal "PressTV", Larijani acusa Karroubi de escolher uma "tática errônea" e dá a entender que "também é possível que tenha sido manipulado para fazer essas declarações".

O clérigo denunciou ainda que alguns jovens morreram nas prisões vítimas de agressões.

Hoje, um membro do grupo dos seguidores da linha de aiatolá Khomeini no Parlamento, Mostafa Zolghadr, propôs um encontro entre Karroubi e Larijani para que eles resolvam as diferenças. EFE msh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG