Clara Rojas não atende à convocação da Justiça para prestar esclarecimentos

Bogotá, 8 abr (EFE).- A ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Clara Rojas não atendeu à convocação da Procuradoria Geral da Colômbia para prestar esclarecimentos sobre o local no qual foi mantida presa.

EFE |

Rojas foi chamada a comparecer de maneira voluntária, na última segunda-feira, perante a unidade de Direitos Humanos da Procuradoria, mas não compareceu, e por isso deve ser convocada novamente, segundo confirmaram hoje fontes do Judiciário colombiano.

Rojas, ex-candidata à Vice-Presidência da Colômbia, foi seqüestrada em fevereiro de 2002, nas selvas do departamento de Caquetá (sudoeste) junto à ex-candidata presidencial colombo-francesa Ingrid Betancourt, que segue em poder da guerrilha.

Clara Rojas foi libertada em 10 de janeiro, junto à ex-congressista Consuelo González de Perdomo, graças a gestões humanitárias lideradas pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, e pela senadora opositora colombiana Piedad Córdoba.

Segundo as mesmas fontes, a Justiça colombiana também investiga o seqüestro de Ingrid Betancourt, e estuda convocar Clara González para prestar esclarecimentos a esse respeito.

As Farc libertaram em 27 de fevereiro os ex-legisladores Luis Eladio Pérez, Jorge Eduardo Géchem, Gloria Polanco de Lozada e Orlando Beltrán.

O grupo rebelde mantém ainda em seu poder mais de 700 reféns, dentre os quais um grupo de 40 políticos, soldados, policiais e americanos, no qual se inclui Ingrid Betancourt, que deseja trocar por cerca de 500 rebeldes presos. 

    Leia tudo sobre: farc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG