Cirurgia do imperador do Japão é concluída com sucesso

Akihito, 78 anos, passou por operação de revascularização coronária neste sábado em hospital da Universidade de Tóquio

iG São Paulo |

AP
Médico Atsushi Amano (E) participa de coletiva sobre operação do imperador Akihito, do Japão
O imperador do Japão, Akihito, foi submetido com sucesso durante cinco horas neste sábado a uma intervenção cirúrgica no coração no Hospital Universitário de Tóquio, informou a Agência da Casa Imperial.

Akihito, de 78 anos, saiu da sala de cirurgia pouco depois das 15h locais (4h de Brasília) para ser internado na unidade de terapia intensiva do centro médico, segundo a agência, citada pela cadeia pública NHK.

A operação foi realizada por uma equipe médica do Hospital Universitário de Tóquio e do Hospital de Juntendo, sob a liderança do médico Atsushi Amano, que conta com uma reconhecida trajetória no terreno da cirurgia de "bypass" coronário.

Em coletiva após a cirurgia, Minoru Ono, um dos cirurgiões, disse que a operação foi realizada "sem problemas". "A pressão arterial está correta. Não há hemorragia. O estado de saúde do imperador corresponde ao previsto", disse.

A intervenção, que precisou de anestesia geral, ocorreu depois de ter sido detectado o estreitamento de duas artérias do imperador. A intervenção foi decidida para "manter e melhorar a vida diária de Sua Majestade", explicou um porta-voz do Palácio Imperial. Trata-se da primeira operação à qual Akihito se submete desde que foi operado em 2003 por um câncer de próstata.

A cirurgia de revascularização coronária, com a qual se pretende aumentar o fluxo sanguíneo no músculo cardíaco, é muito frequente no Japão e não apresenta complicações em 98% dos pacientes, segundo a Associação Japonesa de Cirurgia Torácica.

Se não houver complicações, Akihito deverá deixar o hospital em duas semanas, podendo até presidir a cerimônia que em 11 de março lembrará o aniversário do devastador terremoto seguido de tsunami que castigou o nordeste do Japão, segundo a Agência da Casa Imperial.

Na sexta-feira e neste sábado, milhares de japoneses preocupados desejaram uma rápida melhora ao imperador e assinaram um livro de melhoras no Palácio Imperial, no centro de Tóquio. O primeiro-ministro Yoshihiko Noda afirmou "rezar com todo seu coração pela saúde do imperador".

Como chefe do Estado japonês, o imperador tem apenas uma função simbólica e não dispõe de nenhum poder político, mas precisa cumprir numerosos compromissos, como encontros com dirigentes estrangeiros.

EFE
Akihito chega ao hospital para realizar a cirurgia (17/02)
Durante a recuperação de Akihito no Hospital Universitário de Tóquio, seu filho mais velho, o príncipe herdeiro Naruhito, se encarregará das funções oficiais que habitualmente desempenha o imperador. Há alguns meses, o segundo filho do imperador, Akishino, propôs que se examinasse a possibilidade de fixar uma idade máxima para se exercer o cargo de imperador. Atualmente, tal função é vitalícia.

Akihito foi operado em 2003 de um câncer de próstata e segue em tratamento para evitar uma recaída. Ele foi hospitalizado por quase três semanas em novembro de 2011 por uma bronquite e uma leve pneumonia. O imperador assumiu em 1989, após a morte de seu pai, Hirohito, aos 87 anos.

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: japãoakihitoimperadorcoraçãobypass

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG