Cinzas vulcânicas volta a cancelar milhares de voos na Europa

Por Michael Holden LONDRES (Reuters) - Uma enorme nuvem de cinzas de um vulcão islandês se espalhou ainda mais sobre a Europa nesta sexta-feira, causando um caos aéreo que não era visto desde os atentados de 11 de setembro de 2001 nos EUA.

Reuters |

Novos voos devem ser cancelados no sábado devido aos riscos para a segurança aérea, segundo autoridades da aviação. Aeroportos da Grã-Bretanha, França, Alemanha e outros países ficarão fechados pelo menos até sábado. Os transtornos já haviam sido graves na quinta-feira.

"Eu acho que a Europa está provavelmente experimentando a maior perturbação às viagens aéreas desde o 11 de Setembro", disse um porta-voz da Autoridade de Aviação Civil britânica.

"Em termos de fechamento de espaço aéreo, é pior do que o 11 de Setembro. A perturbação é pior do que qualquer coisa que já vimos."

Depois dos atentados de 2001 em Washington e Nova York, o espaço aéreo dos EUA passou três dias fechados, levando as empresas aéreas europeias a suspenderem todos os seus voos para o país.

Os problemas causados pela nuvem de fumaça expelida pelo vulcão islandês devem custar às companhias aéreas 200 milhões de dólares por dia, disse a Associação de Transporte Aéreo Internacional (Iata, na sigla em inglês).

"Nos níveis atuais de problemas, a estimativa inicial e conservadora da Iata do impacto financeiro nas companhias aéreas é em mais de 200 milhões de dólares por dia em perdas de receitas", disse a entidade em comunicado.

Vulcanólogos dizem que, se a erupção na Islândia continuar, as cinzas podem causar problemas ao tráfego aéreo por até seis meses. Mesmo que o problema seja transitório, o impacto financeiro às empresas aéreas pode ser significativo.

Na sexta-feira, as ações da Lufthansa, British Airways, Air Berlin, Air France-KLM, Iberia e Ryanair registravam quedas entre 1,4 e 3 por cento.

O porta-voz da Associação de Transporte Aéreo da América, David Castelveter, disse que as companhias aéreas norte-americanas cancelaram ao menos 170 voos vindos e destinados à Europa.

CUSTOS EM ALTA

O cancelamento de voos custaria a empresas como British Airways e Lufthansa cerca de 16 milhões de dólares por dia, disse o analista Douglas McNeill.

"Perder este montante de dinheiro não é uma experiência agradável mas é de significado comercial limitado", disse ele à

BBC TV.

"Alguns dias como este não serão de tamanha importância. Se isto se prolongar por semanas, é uma história diferente."

A erupção no vulcão que fica sob a geleira Eyjafjallajokull, na Islândia, começou na quarta-feira, levantando uma coluna de cinzas com até 11 quilômetros de altura. Foi a segunda erupção na região em menos de um mês.

As autoridades dizem que o vulcão subterrâneo continua expelindo magma. Segundo elas, mesmo que a erupção ceda nos próximos dias, o vulcão pode continuar jogando cinza nos céus europeus.

As cinzas vulcânicas contêm pequenas partículas de vidro e pedras pulverizadas, capazes de danificar motores e fuselagens.

Em 1982, um jumbo da British Airways caiu na Indonésia depois de passar numa nuvem de cinza e perder a potência das turbinas. O incidente levou o setor a rever os procedimentos quando há cinzas vulcânicas na atmosfera.

NUVEM SE MOVE

Dos cerca de 29 mil voos diários habituais no espaço aéreo europeu, apenas entre 12 mil e 13 mil devem operar na sexta-feira, e só cerca de um terço dos voos programados para chegarem da América efetivamente pousarão, segundo a Eurocontrol (agência continental de controle da aviação).

O Departamento Meteorológico Britânico mostrou que a nuvem de cinza está se deslocando para o sul e para o oeste, sobre a Europa. A Eurocontrol anunciou que os problemas de tráfego aéreo continuarão por pelo menos mais 24 horas, e um especialista da Organização Meteorológica Mundial afirmou que seria impossível dizer quando os voos serão retomados.

As autoridades polonesas disseram que o problema pode obrigar ao adiamento do funeral do presidente Lech Kaczynski e da sua esposa, Maria, que morreram no sábado em um acidente aéreo na Rússia. O sepultamento está marcado para domingo.

Na Ásia e no Oriente Médio, várias empresas aéreas também tiveram de cancelar ou adiar voos para a Europa.

Com a nuvem sendo soprada para o sul, as autoridades da República da Irlanda disseram que a maior parte do espaço aéreo local já foi liberada.

Os transtornos aéreos acabaram sendo uma dádiva para as companhias ferroviárias. Todos os 58 trens Eurostar entre Grã-Bretanha e a Europa continental operam lotados, levando cerca de 46,5 mil passageiros. Uma porta-voz disse que a empresa cogita programar viagens adicionais.

(Reportagem das redações de Londres, Genebra, Dublin, Paris, Amsterdã, Bruxelas, Reykjavik e Berlim)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG