Cinzas voltam a cancelar voos em Buenos Aires e Montevidéu

De acordo com serviço chileno, vulcão Puyehue mantém processo eruptivo de baixa intensidade e pode afetar tráfego aéreo por meses

iG São Paulo |

A presença das cinzas do vulcão chileno Puyehue Cordón Caulle no céu de Buenos Aires obrigou nesta terça-feira as estatais Aerolíneas Argentinas e a Austral a cancelarem dezenas de voos no aeroporto do Aeroparque. Também houve cancelamentos e atrasos no aeroporto internacional de Ezeiza, a 35 quilômetros de Buenos Aires, o maior do país.

As brasileiras TAM e Gol e a chilena Lan, porém, decidiram manter suas operações normalmente. Contatadas pelo iG , a TAM e Gol também afirmaram que suas operações continuam normais no sul do país.

Durante a madrugada, os voos rumo a São Paulo, Rio de Janeiro e Montevidéu foram cancelados. Os com destino a cidades da Argentina permanecem adiados até novo aviso, disseram fontes das empresas afetadas.

As cinzas do complexo vulcânico chileno, que fica a 1,7 mil quilômetros de Buenos Aires, foram detectadas sobre o território portenho na madrugada desta terça-feira pelo Serviço Meteorológico Nacional e espera-se que o fenômeno se dissipe depois do meio-dia.

Aerolíneas Argentinas e sua subsidiária Austral cancelaram entre 3,4 mil e 3,5 mil voos desde que o Puyehue Cordón Caulle entrou em erupção em junho, conforme fontes das companhias.

Cancelamentos no Uruguai

Mais de dez voos foram cancelados na manhã desta terça-feira no Uruguai por causa das cinzas, segundo o site do aeroporto de Carrasco, em Montevidéu. Oito decolagens e cinco pousos, das companhias Aerolíneas Argentinas, American Airlines, Iberia, Sol Líneas Aéreas e TACA, foram suspensos, enquanto outros voos ficaram atrasados.

Laura Vanoli, diretora da Meteorologia Aeronáutica, disse à AFP que, "segundo o último relatório, o país será afetado durante todo o dia" pela nuvem de cinzas vulcânicas que cobre "praticamente todo o território".

De acordo com o Serviço Nacional de Geologia e Minas (Sernageomin) chileno, as cinzas do Puyehue - que mantém um processo eruptivo de baixa intensidade - podem afetar o tráfego aéreo por meses.

Veja galeria de fotos desde a erupção de vulcão chileno:

Desde a erupção do vulcão chileno , em 4 de junho, o principal aeroporto uruguaio - que tem uma média de quase cem voos diários - cancelou e atrasou voos em várias ocasiões. A última vez foi em meados de outubro . A decisão de suspender voos corresponde às companhias aéreas, preocupadas em como as cinzas podem afetar os motores dos aviões.

*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: vulcãovulcão puyehuechileargentinauruguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG