Cinzas do vulcão chileno cancela mais voos na Austrália e Nova Zelândia

De acordo com a Qantas, 10 mil passageiros da companhia e outros 12 mil da Jetstar foram afetados pelos cancelamentos desde domingo

EFE |

Milhares de passageiros permanecem nos aeroportos da Austrália e Nova Zelândia devido ao cancelamento de voos em consequência da nuvem de cinzas produzida pela erupção do vulcão chileno Puyehue-Cordón Caulle. A companhia aérea Qantas cancelou nesta segunda-feira (pelo horário local) todos os pousos e decolagens da ilha australiana da Tasmânia e da Nova Zelândia.

Já no aeroporto da cidade australiana de Melbourne, todos os voos foram suspensos pelo menos até meio-dia. As companhias aéreas de voos domésticos Jetstar e Tiger Airways também suspenderam voos pelo menos até meio-dia.

Segundo a rádio australiana "ABC", a Virgin é a única companhia que reatou seus voos em Melbourne e na Nova Zelândia. Olivia Wirth, porta-voz da Qantas, disse à rádio australiana "ABC" que cerca de 10 mil passageiros de sua companhia aérea e outros 12 mil da Jetstar foram afetados desde domingo pelos cancelamentos.

Matt Wardell, porta-voz da Airservices Australia, indicou que a nuvem de cinzas continua cobrindo nesta segunda-feira a ilha da Tasmânia e algumas partes do estado de Victoria, inclusive a cidade de Melbourne. "(A nuvem de cinzas) está entre 7,5 e 11 quilômetros de altura e se espalhando e movimentando lentamente sentido nordeste", acrescentou Wardell à agência de notícias "AAP".

Um grande número de passageiros se encontra à espera no aeroporto neozelandês de Auckland devido ao cancelamento de seus voos. Mas, por enquanto, a companhia Air New Zealand está operando no momento, a uma altura mais baixa que o nível da nuvem de cinzas (entre 6,1 e 9,2 quilômetros).

    Leia tudo sobre: vulcãochileaustrálianova zelândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG