Cinzas de vulcão param aviões em toda a Europa

Três dias depois da erupção do vulcão Eyjafjallajoekull, na Islândia, a nuvem de cinzas que ele vem expelindo praticamente parou o tráfego aéreo em toda a Europa neste sábado - da Grã-Bretanha à Rússia, atingido países como a Romênia. Os principais aeroportos europeus passaram a sexta-feira fechados e a situação não tem previsão de melhora, de acordo com o Serviço Britânico de Tráfego Aéreo (Nats, na sigla em inglês). As previsões atuais mostram que a situação vai piorar ao longo do sábado, afirmou a organização.

BBC Brasil |

AP
Vulcão Eyjafjallajoekull em erupção na Islândia

Vulcão Eyjafjallajoekull em erupção na Islândia

A Agência Europeia de Tráfego Aéreo (Eurocontrol), que monitora o espaço aéreo de 38 países, afirmou que dois terços dos 28 mil voos em toda o continente foram cancelados na sexta-feira. A Grã-Bretanha estendeu o fechamento do seu espaço aéreo do meio-dia de sábado à 1h de domingo (21h, em Brasília).

A suspensão dos voos está provocando prejuízos diários de mais de R$ 350 milhões, de acordo com a Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo, na sigla em inglês), que representa 230 empresas aéreas.

Milhares de passageiros já perderam os seus voos. Na Alemanha, todos os 16 aeroportos internacionais do país não devem operar neste sábado, e a companhia aérea Lufthansa já cancelou todos os voos até as 20h (15h, em Brasília). "Nunca houve nada como isso", afirmou um porta-voz da empresa, acrescentando que não há aviões da empresa no ar em qualquer parte do mundo.

Alternativas de transporte

Na Europa, passageiros estão buscando alternativas como trens, ônibus e barcas.

O serviço Eurostar, que liga a Grã-Bretanha ao continente europeu, está lotado até segunda-feira.

"Em termos de fechamento de espaços aéreos, isso é pior que 11 de setembro. A interrupção é pior do que qualquer coisa que já vimos", disse um porta-voz do órgão que regulamenta a aviação na Grã-Bretanha, a Civil Aviation Authority.

Entre os milhares de pessoas afetadas pela nuvem de cinzas vulcânicas estão a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que foi obrigada a pousar em Portugal na sua volta dos Estados Unidos, e a cantora americana Whitney Houston, que foi forçada a viajar de carro da Grã-Bretanha para a Irlanda para fazer um show.

A suspensão de voos na Europa está provocando consequências em várias partes do mundo, com o cancelamento de voos na Austrália, Índia, China, Japão, Moscou e Cingapura.

AP
Passageiros lotam aeroporto em Moscou

Passageiros lotam aeroporto em Moscou


A erupção do vulcão na Islândia começou na quarta-feira e continua lançando cinzas na atmosfera. Especialistas temem que as cinzas contidas na fumaça entrem nos motores do avião entupindo as turbinas. Quando isso acontece, o motor para de funcionar em pleno voo.

Perigos

As cinzas, no entanto, não apresentam risco grave para a saúde das pessoas. Segundo autoridades de saúde na Escócia, onde a previsão era de que as cinzas começassem a cair na noite de quinta para sexta-feira, a expectativa é de que a concentração de partículas seja baixa.

O serviço de meteorologia britânico Met Office afirmou que qualquer partícula que tocasse o chão seria praticamente invisível.

A segunda erupção do vulcão da geleira de Eyjafjallajoekull em um mês começou na quarta-feira, lançando uma nuvem de fumaça a uma altura de 11 quilômetros na atmosfera. Uma fissura de 500 metros apareceu no topo da cratera.

O calor do vulcão derreteu parte do gelo em volta, provocando enchentes na região na quarta-feira.

Nos primeiros momentos, cerca de 800 pessoas tiveram de abandonar as suas casas. O vulcão, no entanto, continuou emitindo nuvens de poeira em direção à Europa.

Especialistas não sabem quanto tempo esta erupção deve durar. A última erupção vulcânica debaixo da geleira, antes deste ano, começou em 1821 e continuou por dois anos.


Clique aqui para ver o infográfico

Leia também:


Leia mais sobre erupção vulcânica

    Leia tudo sobre: islândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG