Cinzas de vulcão islandês forçam cancelamento de 15% dos voos na Europa

Cerca de 15% dos voos na Europa foram cancelados nesta quinta-feira por uma nuvem de cinzas expelida durante a erupção de um vulcão subterrâneo sob a geleira Eyjafjälla, no sul da Islândia, informou a Agência Europeia para a Segurança na Navegação Aérea (Eurocontrol).

iG São Paulo |

A nuvem de cinzas provocou o fechamento do espaço aéreo e o cancelamento da maioria dos voos na Grã-Bretanha  e afetou os aeroportos de outros países do norte da Europa, causando atrasos e cancelamentos de voos até para o Brasil.

Pelo menos 1,3 mil voos operam desde ou para Heathrow todos os dias. Um voo da British Airways (BA247) que sairia de Londres e iria para Buenos Aires, com escala em São Paulo, foi cancelado.

Segundo o Serviço de Controle do Tráfego Aéreo Nacional (NATS), o espaço aéreo britânico permanecerá fechado "pelo menos" até as 6 horas de sexta-feira (3 horas em Brasília), com exceção dos voos de emergência.


Nuvem de cinzas de vulcão na Islândia atrapalha o tráfego aéreo na Europa / AP

O NATS adotou a medida após constatar que os ventos seguem na direção da Grã-Bretanha, ao sul, empurrando para a região as cinzas do vulcão. As restrições impostas podem ser ampliadas e será realizada uma nova estimativa às 19 horas locais (16 horas, Brasília) desta quinta-feira.

Milhares de passageiros foram afetados pela suspensão de todos os voos na Grã-Bretanha e só um pequeno número de aviões aterrissou e decolou antes da suspensão, às 10 horas locais (7 horas, Brasília).

Outros locais afetados

Além da Grã-Bretanha, o tráfego aéreo foi suspenso na Irlanda, Dinamarca, Noruega e Suécia, enquanto os espaços aéreos da Alemanha, Holanda e Bélgica serão fechados esta tarde, confirmou a Eurocontrol.

Todas as operações no aeroporto de Dublin , na Irlanda, foram canceladas. Os voos no aeroporto internacional de Belfast e no aeroporto George Best da capital da Irlanda do Norte também foram suspensos.

Segundo a Autoridade de Aviação Irlandesa (IAA, na sigla em inglês), parte do espaço aéreo nacional permanecerá fechada até as 19 horas locais (16 horas em Brasília).

Na Bélgica, desde as 9h30 (horário de Brasília) boa parte dos voos com destino ao norte permaneceram em terra enquanto o aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, seguia aberto para o tráfego aéreo em direção ao sul, informou o secretário de Estado de Mobilidade, Etienne Schouppe.

Em seu site, o aeroporto de Zaventem indica que a medida será mantida pelo menos até às 17 horas de Brasília.

A Organização Internacional de Aviação Civil recomenda que não sejam prestados serviços de controle de tráfego aéreo a aeronaves em espaços aéreos afetados por cinza vulcânica.

Desse modo, diferentes provedores de serviços de navegação aérea enviaram notificações às companhias aéreas nas quais solicitaram a suspensão temporária do tráfego.


Área de checkin do aeroporto de Heathrow, em Londres, ficou vazia / AP

França

Ao longo do dia, a França fechará 24 de seus aeroportos , entre eles os três de Paris, Roissy-Charles de Gaulle, Orly e Le Bourget, informou a Direção Geral da Aviação Civil (DGAC).

"Por medidas de segurança, os aeroportos de Calais, Merville, Touquet, Dieppe, Cherbourg, Amines, Lille e Valencineenes", todos no norte da França, foram fechados desde as 12 horas (horário de Brasília), disse a DGAC.

Além disso, a partir das 18 horas (horário de Brasília) os três aeroportos de Paris, além dos de Brest, Lannion, Deauville, Morlaix, Quimper, Rennes, Caen, Estrasburgo, Vatry, Reims, Metz, Beauvais, Pontoise, e Tosus-le-Noble, deixarão de operar. Todos esses aeroportos são situados na metade norte do país.

Finlândia, Noruega e Dinamarca

As autoridades da Finlândia anunciaram o fechamento de oito aeroportos no norte do país até as 15 horas locais (9 horas em Brasília).

Avinor, o órgão estatal que controla o tráfego aéreo e os aeroportos da Noruega, decretou o fechamento total do tráfego aéreo às 10 horas (5 horas em Brasília), embora horas antes quase todos os aeroportos do país estavam paralisados e o principal, o de Gardermoen (Oslo), funcionava parcialmente.

Segundo o órgão que controla o espaço aéreo na Dinamarca, Naviair, as últimas previsões sobre a expansão das cinzas obrigam ao fechamento progressivo do tráfego aéreo. O maior aeroporto dinamarquês ficará fechado até 17 horas (12 horas em Brasília) e é provável que o tráfego aéreo continue paralisado até sexta-feira.

Perigo

A nuvem de cinzas foi expelida na erupção do vulcão Eyjafjallajoekull, em uma geleira a 1,7 mil quilômetros de Londres. Segundo especialistas, as cinzas contêm pequenas partículas de rochas, vidro e areia suficientes para afetar as turbinas. Elas podem diminuir a visibilidade e danificar os controles de voo.

As autoridades aéreas da Europa demonstram cautela para autorizar voos perto de erupções vulcânicas por causa de incidentes passados. Em 1982, um jumbo 747 da British Airways teve as quatro turbinas paralisadas após voar por uma coluna de fumaça vulcânica.

AP
Vulcão em errupção na Islândia

Vulcão em errupção na Islândia

Um incidente quase igual ocorreu em 15 de dezembro de 1989, quando o voo 867 da KLM, que seguia de Amsterdã para Anchorage, no Alasca, voou por uma nuvem de fumaça da erupção do Monte Redoubt, fazendo com que os quatro motores parassem.

Depois que o avião saiu da nuvem, a tripulação conseguiu reiniciar o motor e fazer um pouso seguro em Anchorage, mas o avião ficou gravemente danificado.

* Com EFE, AFP e BBC Brasil

Leia mais sobre erupção vulcânica

    Leia tudo sobre: aeroportoseuropaislândiavulcão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG