Cinzas de vulcão da Islândia fecham espaço aéreo da Groenlândia

Espaço aéreo islandês e um voo da Groenlândia foram afetados; agência diz que espaço aéreo europeu não deve ser fechado

iG São Paulo |

Cinzas de um vulcão da Islândia se moveram sobre a Groenlândia e forçaram o cancelamento de um único voo nesta segunda-feira, mas espera-se que a maioria da fumaça espalhe-se para o norte da Escandinávia e atrapalhe poucos, se quaisquer, voos europeus.

Além disso, as cinzas do vulcão Grimsvötn, que entrou em erupção no sábado, afeta a capital da Islândia, Reykjavik, localizada a 400 km da cratera.

Autoridades do tráfego aéreo da Dinamarca disseram que as cinzas do Grimsvötn atingiram o leste da Groenlândia, um território semiautônomo dinamarquês. A companhia aérea Air Greenland disse nesta segunda-feira que o voo entre o principal aeroporto da ilha e Copenhagen foi cancelado como resultado.

AP
Vulcão Grimsvötn, que fica sob a geleira de Vatnajokull, 200 km da capital da Islândia, Rejkjavik, expele cinzas e fumaça em sua primeira erupção desde 2004 (21/05/2011)
Oficiais da aviação disseram na Noruega que a nuvem de cinzas pode também afetar voos das ilha árticas de Svalbard nesta segunda-feira. Por isso, as autoridades norueguesas suspenderam os voos para o arquipélago.

De acordo com o Escritório de Meteorologia do Reino Unido, as cinzas podem atingir o espaço aéreo britânico no fim desta semana, mas a agência de controle do espaço aéreo europeu (Eurocontrol) disse não esperar que se movam além da costa ocidental da Escócia. Por isso, a Eurocontrol informou que o espaço aéreo da Europa não deve ser fechado, mesmo parcialmente, ao menos de maneira imediata.

A erupção do Grimsvötn provocou o fechamento do espaço aéreo da Islândia no domingo, lembrando o que aconteceu no ano passado quando as cinzas do Eyjafallajokull paralisaram os céus europeus e deixaram 3 milhões de passageiros no chão.

"O Grimsvötn continua em atividade e, apesar da potência da erupção ser inferior à de ontem (domingo) pela manhã, é comparável à da noite passada, com a nuvem de cinzas chegando a 10 km de altura", disse o geofísico Einar Kjartansson, do Instituto Meteorológico islandês. "As cinzas se dispersaram sobre boa parte do país. À noite, havia cinzas em Reykjavik, mas agora não", disse.

Para o especialista, a erupção pode durar uma semana ou duas, mas ele afirmou que é impossível fazer previsões realistas. "Os meteorologistas afirmam que as cinzas podem seguir para a Europa durante a semana, mas não é mais que uma possibilidade, não é garantido", acrescentou.

Para outro meteorologista, Peitur Arason, "os ventos de baixa altitude sopram forte em direção à Grã-Bretanha, mas em altas altitudes sopram para o noroeste". Segundo os especialistas, caso a tendência prossiga, as cinzas podem alcançar a Escócia na terça-feira, assim como o oeste da França e o norte da Espanha na quinta.

A Islândia pode reabrir ainda nesta segunda-feira o aeroporto internacional de Reykjavik-Keflavik. O país fica na rota de algumas linhas transatlânticas, mas até o momento apenas voos com destino ou origem na ilha foram cancelados.

O vulcão Grimsvötn, o mais ativo do país, registra a mais violenta erupção em um século. A nuvem de cinzas alcançou nas primeiras horas 20 mil metros de altura.

*Com AP e EFE

    Leia tudo sobre: islândiavulcãoeuropaaeroportos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG