Cinzas de vulcão chileno voltam a provocar cancelamento de voos

TAM cancelou voos para a Argentina e Uruguai por motivos de segurança

iG São Paulo |

As cinzas do vulcão chileno Puyehue voltaram a provocar o cancelamento de voos do Brasil para países vizinhos. Por motivos de segurança a TAM cancelou voos para a Argentina e Uruguai previstos para a manhã desta segunda-feira. Segundo a assessoria de imprensa da companhia, foram cancelados voos cujo destino ou origem são os aeroportos de Ezeiza e Aeroparque (Buenos Aires) ou Montevidéu.

A TAM orientou os passageiros a entrarem em contato com as centrais de atendimento Os números são 4002-5700 (capitais brasileiras), 0800-5705700 (demais localidades no Brasil), 0 810 333 3333 (Argentina), 56 2 6767 900 (Chile), 595 21 659 5000 (Paraguai) e 000 4019 0223 (Uruguai).

De acordo com a companhia, a situação não tem prazo para ser normalizada pois depende da melhoria das condições meteorológicas no Chile, Argentina e Uruguai.

Segundo o site da Infraero, entre 0h e 7h de hoje, 44 dos 462 voos programados haviam sido cancelados por motivo diversos, dos quais três tinham destinos internacionais. Segundo o jornal argentino “La Nación”, 57 voos que partiam dos aeroportos de Buenos Aires para o sul do país, Brasil e Uruguai foram cancelados em função so aumento das cinzas do vulcão chileno.

Outras empresas que cancelaram suas próximas partidas nos dois principais aeroportos de Buenos Aires são American Airlines, Air France, British Airways, Air Canadá e Lan. Os serviços da Lufthansa, Aeromexico e South African Airways estão demorados.

Leia mais:
Nuvem vulcânica do Chile dá volta ao mundo
Veja imagens da erupção do vulcão Puyehue
Aéreas brasileiras perdem R$ 12 mi com vulcão
Veja seus direitos em problemas em suas viagens

Em entrevista ao canal C5N, o secretário argentino de Transportes, Juan Pablo Schiavi pediu calma a todos os afetados, e explicou que a partir do momento que as cinzas deixem de ser lançadas são necessárias "três horas de trabalho para o aeroporto voltar a ter condições de operar".

Desde que o complexo vulcânico chileno entrou em erupção em 4 de junho, os aeroportos de Buenos Aires tiveram que suspender suas operações de forma reiterada durante dois meses.

* Com Agencia Estado

    Leia tudo sobre: vulcãochilevulcão Puyehue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG