Cinzas de vulcão chileno podem chegar hoje à província de Buenos Aires

Buenos Aires, 6 mai (EFE).- As cinzas liberadas pelo vulcão Chaitén, no Chile, podem chegar hoje à província de Buenos Aires, na Argentina, a mais populosa do país, por causa dos ventos.

EFE |

Além disso, pelo segundo dia consecutivo o fenômeno obrigou escolas a suspenderem as aulas em várias localidades da Patagônia argentina, cujas ruas voltaram a amanhecer como se uma nevasca tivesse caído.

Até agora as cinzas do Chaitén só caíram sobre a província argentina de Chubut, mas o Serviço Meteorológico Nacional previu que elas podem atingir hoje a região vizinha de Río Negro e o sul de Buenos Aires por causa de uma mudança na direção dos ventos.

Os locais mais afetados pela queda de cinzas são Trelew, Esquel e Corcovado, que juntas têm população de 70 mil habitantes no oeste da província de Chubut, cerca de 1.900 quilômetros ao sul da capital argentina.

O fenômeno também foi percebido por moradores da cidade de Puerto Madryn, no litoral do Atlântico.

As autoridades explicaram que as cinzas causam problemas nas vias respiratórias e na vista, e por isto distribuíram máscaras e jogam água nas ruas das cidades atingidas para que as cinzas se assentem.

Apesar de a água contaminada pelas cinzas não ser tóxica, o Governo de Chubut também organizou um sistema de distribuição de água potável para as famílias que vivem nas regiões limítrofes com os povoados, inclusive na fronteira com a cidade chilena de Futaleufú.

A situação obrigou a interrupção das atividades turísticas no Parque Nacional Los Alerces para que seu pessoal ajude os moradores da região diante dos problemas provenientes da erupção do Chaitén.

A Secretaria de Meio Ambiente de Desenvolvimento Sustentável da Argentina enviou uma equipe técnica para controlar a situação na área.

As linhas aéreas que operam na região chegaram a cancelar por algum tempo seus vôos para as cidades de Comodoro Rivadavia e Trelew por causa da forte nuvem de fumaça vulcânica sobre a província de Chubut.

O Chaitén entrou em erupção na madrugada da última sexta. Até o momento, grande parte dos moradores das cidades chilenas de Chaitén e Futaleufú foi retirada. EFE hd/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG