Cinza vulcânica fecha espaço aéreo do norte da Europa

Por Kylie MacLellan LONDRES (Reuters) - Uma enorme nuvem de cinzas de um vulcão que entrou em erupção na Islândia converteu os céus do norte da Europa em zona fechada para voos na quinta-feira, deixando centenas de milhares de passageiros sem poder embarcar.

Reuters |

A organização de segurança aérea europeia disse que o transtorno, o maior já visto na região, pode durar mais dois dias, e um respeitado especialista em vulcões disse que, se a erupção continuar, as cinzas podem causar problemas intermitentes ao tráfego aéreo por seis meses.

A erupção de quarta-feira foi a segunda em menos de um mês nas profundezas da geleira Eyjafjallokull, lançando uma coluna de cinzas com 6 a 11 quilômetros de altura, a qual se espalhou para o sudeste durante a noite.

O vulcanólogo islandês Armannn Hoskuldsson disse na quinta-feira que a erupção está se intensificando.

A Grã-Bretanha proibiu todos os voos em seu espaço aéreo menos os de emergência, até pelo menos 6h GMT (3h de Brasília) da sexta-feira.

É a primeira vez "na memória das pessoas vivas" que um desastre natural causou tal interrupção, disse uma porta-voz do Serviço Nacional de Tráfego Aéreo (Nats) britânico. Mesmo depois dos ataques de 11 de setembro de 2001 contra cidades americanas a Grã-Bretanha não fechou seu espaço aéreo, disse ela.

"Estamos trabalhando em cooperação estreita com aeroportos, companhias aéreas e o resto da Europa para entender e mitigar as implicações da erupção vulcânica," disse a NATS em comunicado à imprensa.

As precauções foram tomadas porque as cinzas vulcânicas contêm partículas minúsculas de vidro e rochas pulverizadas que podem danificar motores e estruturas de aviões.

"A segurança é a consideração primeira e mais importante, e se parte do público viajante sofrer transtornos, peço desculpas por isso", disse o primeiro-ministro britânico Gordon Brown.

Os aeroportos de Paris, Bruxelas, Amsterdã e Genebra disseram que cancelaram grande número de voos, e o porta-voz do Eurocontrol Brian Flynn disse na tarde de quinta-feira que o problema pode persistir por mais 48 horas.

Funcionários de companhias aéreas no aeroporto de Stansted, no nordeste de Londres, disseram a passageiros que o aeroporto pode ficar fechado até domingo, disse o passageiro Andy Evans, que não pôde embarcar.

"As pessoas não sabem o que fazer", disse ele. "Há centenas de pessoas nas filas nos balcões das companhias."

Um porta-voz de Heathrow, o aeroporto mais movimentado da Europa, disse que 840 dos 1.250 voos previstos na quinta-feira foram afetados, causando transtornos a cerca de 180 mil passageiros. Mais de 100 mil outros passageiros foram afetados em Gatwick e Stanstead.

Em 1982, um jumbo da British Airways caiu na Indonésia após passar por uma nuvem vulcânica e perder toda a força das suas turbinas.

O incidente levou a indústria da aviação a repensar a maneira como se prepara para nuvens de cinzas, resultando nos planos de contingência internacionais ativados na quinta-feira.

Cientistas disseram que as cinzas não constituem ameaças à saúde porque estão em nível elevado de altitude.

TRANSTORNOS AMPLOS

Brian Flynn, vice-chefe de operações da Eurocontrol, disse: "A extensão é maior do que jamais foi vista antes na União Europeia."

"A situação meteorológica faz com que as cinzas vulcânicas estejam avançando muito lentamente em direção leste, mas não há muito vento, então a nuvem é muito lenta e muito densa."

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, foi forçado a cancelar sua viagem à cidade russa de Murmansk, no Círculo Ártico, na quinta-feira. "A nuvem cobriu a região inteira. Os voos não estão sendo permitidos", disse seu porta-voz, Dmitry Peskov.

O espaço aéreo foi fechado também no norte da Suécia, e os voos transatlânticos estão tendo de percorrer uma rota mais longa, disse Jan Lindqvist, porta-voz do aeroporto Arlanda, em Estocolmo.

Em Oslo, todo o tráfego no maior aeroporto norueguês foi cancelado a partir das 5h, e o aeroporto de Copenhague seria fechado por volta de 13h (ambos os horários de Brasília), sem previsão de reabertura.

A Navair, agência que cuida do tráfego aéreo dinamarquês, disse que os voos já haviam sido interrompidos no espaço aéreo do país sobre o mar do Norte.

A Finavia disse que o espaço aéreo do norte da Finlândia ficará fechado até as 9h de sexta-feira, e que as empresas Finnair e SAS haviam cancelado vários voos domésticos e internacionais.

A companhia ferroviária Eurostar disse que devido à interrupção das viagens aéreas vem recebendo centenas de solicitações de passagem de pessoas que tentam chegar ou sair da Grã-Bretanha.

(Reportagem das redações de Londres, Dublin, Paris, Oslo, Estocolmo, Helsinque, Amsterdã, Bruxelas, Genebra e Copenhague)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG