Kuala Lumpur, 19 fev (EFE).- A próspera Cingapura é agora o território com maior índice de acesso a internet de banda larga de todo o planeta, revelaram hoje informações oficiais.

Em dezembro passado 99,9% das famílias de Cingapura estiveram conectados à grande rede, diante de 92% da Coreia do Sul e de 83,8% de Hong Kong, diz o último relatório da Autoridade de Desenvolvimento das Telecomunicações.

O número superou o alvo do Governo cingapuriano de que pelo menos nove de cada dez casas tivessem acesso a internet de qualidade antes de 2015.

Alguns usuários alertaram que o alto índice de implantação da banda larga não significa que todos os lares disponham de uma conexão, pois alguns têm contratadas mais de uma linha de alta velocidade ou mais de um modem.

No entanto, os números excluem as pessoas que se conectam à internet através de seu telefone celular ou em áreas de acesso grátis em locais públicos.

Os especialistas atribuem a popularidade da banda larga em Cingapura aos baixos preços e à alta velocidade de conexão que oferecem as operadoras, que também costumam presentear com um computador ou um celular de brinde cada nova assinatura de seus serviços.

Em 2008, a cidade-estado investiu US$ 725 milhões para desenvolver uma rede até dez vezes mais rápida da atual até 2015.

Um ano antes, Cingapura já se transformou em um paraíso para os internautas com o início do programa Wireless@SG, que permite acessar a internet de qualquer ponto da ilha sem custo algum para o usuário.

A pequena cidade-estado, povoada por cerca de 4,5 milhões de habitantes que vivem em um território de 700 quilômetros quadrados, é a economia mais avançada da região do Sudeste Asiático e suas autoridades apostam no pleno desenvolvimento das novas tecnologias da informação.

No entanto, alguns usuários se queixam da falta de liberdade na Internet, que o Estado vigia através de seus servidores oficiais para impedir o acesso a conteúdos de pornografia ou violência, assim como para supervisionar a ação da oposição política. EFE lol/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.