Um cineasta franco-espanhol que realizou um documentário sobre as gangues de El Salvador foi morto a tiros no país, segundo autoridades locais. Christian Poveda, que dirigiu o filme La Vida Loca (A Vida Louca, em tradução livre) em 2008, foi encontrado morto em um carro no norte da capital, San Salvador, de acordo com a polícia.

O documentário mostrava a vida dos membros da gangue de rua conhecida como Mara 18.

O presidente salvadorenho, Mauricio Funes, se disse chocado com o crime e pediu uma investigação policial completa.

Assassinatos
Poveda atuava como fotógrafo quando foi a El Salvador pela primeira vez, nos anos 80, para cobrir a guerra civil no país.

Nos anos 90, ele voltou para trabalhar no país tendo como tema as gangues de rua.

Segundo a imprensa salvadorenha, Poveda teria testemunhado sete assassinatos durante as filmagens de La Vida Loca - três das vítimas eram entrevistados do documentário.

A gangue Mara 18 e sua rival, Mara Salvatrucha, fazem parte de redes de crime organizado que atuam em toda a América Central e em vários Estados americanos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.