Cinco soldados americanos são identificados na queima do Alcorão

Segundo inquérito militar, cópias do livro muçulmano foram retiradas de prisão após suspeita de conter mensagens extremistas

iG Sâo Paulo |

Uma investigação militar conseguiu identificar cinco soldados envolvidos na queima de cópias do Alcorão , em uma base militar no Afeganistão na semana passada.

Segundo o jornal americano Washington Post, investigadores apontados pelo general John R. Allen, o mais alto comandante americano no Afeganistão, disseram que os soldados retiraram as cópias do Alcorão de uma prisão localizada na base aérea de Bagram, após suspeita de conter mensagens com conteúdo considerado "extremista".

AP
Muçulmano segura cópia do Alcorão em Kuala Lumpur, Malásia, durante protesto antiamericano por queima do livro sagrado em base dos EUA no Afeganistão (24/2)
Depois de serem pegos por militares na prisão, os livros ficaram guardados em um escritório, de acordo com o inquérito. Mais tarde, eles acabaram sendo confundidos com lixo e foram levados para um aterro na base.

Funcionários afegãos identificaram as cópias como sendo do Alcorão no momento em que as páginas eram incineradas, segundo professores muçulmanos presentes. A descoberta da queima levou a uma semana de protestos e tensão sem precedentes entre os EUA e militares afegãos.

A queima de cópias do livro sagrado dos muçulmanos – que os Estados Unidos disseram ter sido acidental – desencadeou uma onda de protestos que deixou ao menos 30 afegãos mortos. A queima também motivou ataques contra militares americanos no Afeganistão, no quais seis soldados morreram.

Desculpas

O ocorrido levou o presidente americano, Barack Obama, a pedir desculpas . Em carta enviada ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, Obama lamentou o incidente e prometeu uma investigação. “Quero estender a você e ao povo afegãos minhas mais sinceras desculpas”, afirmou. “O erro foi impensado. Garanto que vou tomar as medidas necessárias para evitar que ele aconteça novamente e para punir os responsáveis.”

Geopolítica: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

Oficiais americanos disseram que os cinco soldados serão reprimidos e não terão seus nomes divulgados. É improvável também que os militares sejam julgados em tribunal afegão, como algumas autoridades afegãs vêm demandando.

    Leia tudo sobre: afeganistãoalcorãosoldadosotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG