Cinco pessoas, entre as quais um oficial iraquiano chamado Saddam Hussein, foram mortos nesta quinta-feira nos primeiros atentados cometidos desde a retirada, terça-feira, das forças americanas das cidades do Iraque.

Na cidade petroleira de Kirkuk (norte), "desconhecidos abriram fogo contra o comandante Saddam Hussein quando ele estava indo, de carro militar, para seu trabalho, no leste de Kirkuk", informou uma fonte de segurança.

"Seu corpo foi crivado de balas. Os assassinos conseguiram fugir", acrescentou.

O oficial, homônimo do ex-ditador Saddam Hussein, pertencia à 12ª divisão do exército iraquiano que controla a província.

Rica em petróleo, a província de Kirkuk, de 900.000 habitantes, tem várias comunidades brigando pelo poder. Os curdos querem que a região seja anexada pelo Curdistão iraquiano, os turcomanos se consideram como os habitantes históricos da província, e os árabes se instalaram em Kirkuk durante a política de arabização forçada promovida pelo ex-ditador Saddam Hussein.

Além disso, um soldado americano morreu em Bagdá na explosão de uma bomba. Oito pessoas foram feridas, entre elas dois soldados, segundo uma fonte do ministério do Interior.

Em Yussufiyah, 15 km ao sul de Bagdá, dois civis morreram e outros 15 foram feridos na explosão de um carro-bomba perto de um mercado, segundo a mesma fonte.

Em Fallujah, 50 km a oeste de Bagdá, um policial foi morto e outro ficou ferido na explosão de uma bomba magnética, anunciou o subchefe da polícia da cidade.

ak/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.