Cinco explosões sacodem zona de conflito na Geórgia

Por Margarita Antidze TBILISI (Reuters) - Autoridades da Geórgia informaram a ocorrência no domingo de cinco explosões nos dois lados da fronteira existente na prática entre a Geórgia e sua região separatista da Abkházia, no sinal mais recente das tensões crescentes entre Tbilisi e os separatistas.

Reuters |

Uma série de incidentes ocorridos na semana passada envolvendo bombas, morteiros e trocas de tiros foi fortemente condenada por Moscou e Tbilisi. Cada lado culpa o outro pelo reaquecimento de conflitos que tinham sido congelados.

As regiões rebeldes georgianas da Abkházia e Ossétia do Sul se separaram do governo central durante guerras na década de 1990 e são pontos explosivos de tensões com a Rússia, que fornece apoio financeiro a ambas e tem forças de manutenção da paz estacionadas nas duas regiões.

'Quatro minas explodiram hoje pela manhã nas proximidades do vilarejo de Rukhi, na região georgiana de Zubdidi', anunciou um funcionário do Ministério do Interior da Geórgia, Shota Utiashvili.

A quarta explosão aconteceu sob uma viatura policial, no momento em que os policiais investigavam o local após as explosões iniciais. O vice-chefe da polícia local foi levemente ferido, disse Utiashvili à Reuters.

A televisão georgiana mostrou o carro danificado pela bomba e policiais nas proximidades.

A quinta bomba explodiu 'em território controlado pelo lado abkhaze no povoado de Otobia', disse Utiashvili.

O presidente russo Dmitry Medvedev exortou seu colega georgiano Mikheil Saakashvili, no sábado, a evitar 'alimentar as tensões' na Abkházia e Ossétia do Sul.

A mensagem de Medvedev a Saakashvili foi seguida por um tiroteio na Ossétia do Sul e a explosão de uma bomba na Abkházia.

Tbilisi acusa Moscou de tentar anexar as regiões, nas quais a maioria da população tem passaporte russo. Moscou nega que tenha tais planos e, por sua vez, acusa Tbilisi de procurar restaurar seu controle sobre as províncias pela força.

A Geórgia, que quer ingressar na Otan e na União Européia, já declarou que quer substituir a força de manutenção da paz russa hoje estacionada no país por uma força internacional.

A região em que as explosões mais recentes ocorreram fica sob controle da Geórgia, mas é muito próxima da fronteira com a região separatista da Abkházia.

De acordo com a agência de notícias RIA, um comandante russo na Abkházia disse que o uniforme de um membro das forças especiais da Geórgia foi encontrado envolto nos resquícios de um morteiro que provocou as explosões.

'No lugar da explosão restou o uniforme', teria dito o comandante assistente Alexander Novitsky, de acordo com a RIA.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG