Um peixe exótico que vive nas águas da África Ocidental pode servir de modelo para a elaboração de armaduras leves e ultra-resistentes, afirma um estudo publicadoneste domingo pela revista Nature Materials.

Um grupo de cientistas observaram durante muito tempo a espécie de peixe Polypterus senegalus por ausa de suas escamas similares às dos peixes de há milhões de anos.

As escamas desse predador de 40 cm são constituídas por vários estratos que permitem atenuar a potência de um ataque, como uma mordedura, evitar qualquer penetração nos tecidos mais sensíveis e limitar possíveis os danos à zona situada ao redor do impacto.

Engenheiros do Massachusetts Institute of Technology (MIT), financiados pelo Pentágono, analisaram várias escamas extraídas de peixes vivos.

Estes minúsculos escudos formados por quatro camadas diferentes foram submetidos a simulações de mordedura.

Segundo os pesquisadores, a "geometria fascinante" de cada uma destas quatro camadas e a forma com que se articulam entre si contribuem para explicar a extraordinária resistência destas escamas. As aplicações concretas que se pode deduzir é que elas são muito protetoras.

"Inúmeros mecanismos que descrevemos poderão ser transpostos para sistemas de proteção para humanos", afirmou Christine Ortiz, professor associado ao MIT.

ri-jca/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.