Washington, 2 abr (EFE).- Cientistas americanos revelaram hoje que as mudanças causadas na mitocôndria de uma proteína pelo ácido nítrico são um dos fatores que levam ao mal de Alzheimer.

Em um estudo publicado na revista "Science", os cientistas do Instituto Burnham de Investigação Médica ressaltaram que se essas mudanças pudessem ser prevenidas, os sintomas da doença seriam neutralizados.

O mal de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa sem cura que ataca principalmente as pessoas com idade avançada, e seus primeiros sintomas são a perda de memória e, depois, a demência.

Segundo o estudo, o óxido nítrico ataca a mitocôndria da proteína Drp1 através de uma reação química chamada nitrosilação, que causa a fragmentação celular e lesa o sistema de comunicação neuronal constituído pela sinapse.

"Agora, entendemos melhor o mecanismo que causa a neurodegeneração no mal de Alzheimer", afirmou Stuart Lipton, diretor do Centro Webb de Neurociências, Gerontologia e Pesquisa de Células-tronco.

"Agora que identificamos a Drp1 como a proteína responsável da lesão sináptica, temos uma nova meta para desenvolver os remédios que podem reduzir ou impedir totalmente o avanço do Alzheimer", ressaltou. EFE ojl/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.